Prosegur Crypto e Minos Global fazem acordo global para negociação e custódia de criptoativos

José Ángel Fernández (E) e Alfonso Ayuso (D). Foto: Prosegur Crypto.

A Prosegur Crypto, braço de custódia de criptomoedas da espanhola Prosegur Cash, e a Minos Global, que também faz custódia e negociação de criptoativos, fecharam um acordo global para lançarem uma plataforma integrada de compra e custódia de criptoativos para clientes institucionais. Além disso, como parte do acordo, a Prosegur Cash, fez um investimento estratégico na Minos Global.

Empresas do ecossistema de criptoativos estão apostando que o avanço da regulação em diversos países pode trazer mais clientes financeiros para o setor, já que esses buscam mais segurança jurídica. Na União Europeia (UE), o bloco aprovou há poucos dias a regulamentação dos Mercados de Ativos Digitais (Markets in Crypto-Assets, ou MiCA).

No Brasil, em 20 de junho entra em vigor a lei 14.778/23, que rege as empresas que operam com criptoativos. Agora, o mercado aguarda a regulamentação. O processo deve começar com um decreto presidencial indicando quem será o regulador e supervisor do setor. Associações enviaram, na semana passada, uma carta ao governo pedindo que acelere esse processo. Na União Europeia (UE), o bloco aprovou há poucos dias a regulamentação dos Mercados de Ativos Digitais (Markets in Crypto-Assets, ou MiCA).

A plataforma que a Prosegur Crypto e a também espanhola Minos Global criaram já está em funcionamento. A expectativa é a de que ajude a impulsionar o crescimento de criptoativos no setor financeiro para que usem o serviço para oferecer produtos aos seus clientes. Aliás, a plataforma oferece serviços de marca branca (while label) diretos e integração em colaboração com as instituições financeiras parceiras.

A solução da Prosegur Crypto e da Minos Global integra um serviço de pagamentos com criptoativos para comércios e gateways. “Traremos nossa experiência em custódia e segurança avançada aliada à tecnologia de armazenamento a frio (cold wallet)”, disse José Ángel Fernández, presidente executivo da Prosegur Crypto e Diretor Corporativo de Inovação da Prosegur Cash.

Em 2021, a empresa disse ao Blocknews que havia criado um bunker de custódia de ativos digitais, com 100 medidas de proteção em seis camadas de segurança. Na ocasião, fez parceria com a GK8, de sistemas de segurança cibernética de ativos digitais. A empresa dos carros-fortes amarelos, que vão para cima e para baixo com dinheiro físico, disse que foi um passo natural entrar custódia de moedas digitais, segmento que cresce sem parar.

Já para Alfonso Ayuso, CEO da Minos Global, a empresa contribuirá com sua experiência em compra e venda de criptomoedas, além de sua plataforma de negociação que envolve hot wallet. ,

Compartilhe agora

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *