FMI pede a El Salvador que bitcoin deixe de ser moeda legal devido a riscos

FMI aponta riscos de bitcoin para população de El Salvador.

O Fundo Monetário Internacional (FMI), que socorre financeiramente países que têm problemas para pagar seus compromissos externos, pediu a El Salvador que deixe de ter bitcoin como moeda legal. Isso porque “há grandes riscos associados ao uso de bitcoin para a estabilidade financeiro, a integridade financeira e a proteção dos consumidores”, afirmou a diretoria do Fundo após avaliar a situação do país.

Desde que o presidente de El Salvador, Nayib Bukele, decidiu que bitcoin se tornaria moeda legal, o FMI alerta para o risco da instabilidade. Entre os motivos para isso estão o fato de que a economia centro-americana não tem condições de decidir a política monetária nem do dólar, sua até então única moeda legal, nem do bitcoin. Isso porque não emite nenhuma das duas. Um outro motivo é que bitcoin é muito volátil, ou seja, pode colocar em riscos as contas públicas do país, com isso seu sistema financeiro e por tabela, o bolso da população.

Os diretores do FMI, diz o documento do fundo, também estão preocupados com os riscos de El Salvador emitir títulos com lastro em bitcoin. Com a queda da cotação do bitcoin, Bukele disse que aproveitou para comprar a moeda. Até agora, diz que comprou 1.801. E pelo menos até agora, o país perdeu dinheiro, já que bitcoin está embicado para baixo. Assim, El Salvador – e portanto os salvadorenhos – perderam milhões. Se sentar em cima das moedas, poderá recuperar no futuro. Mas quando e quanto, não se sabe, uma incerteza que é péssima para contas públicas.

FMI diz que bitcoin precisa de mais monitoramento

De acordo com o FMI, a pandemia da Covid-19 interrompeu dez anos de crescimento. Porém, El Salvador está se recuperando rapidamente por motivos como as transferências de quem mora fora, demanda externa e gerenciamento da pandemia.

Só que vulnerabilidades de dívida pública emergiram e o país, quando decidiu adotar bitcoin, estava a ponto de negociar um empréstimo com o FMI. E a criptomoeda pode criar ainda mais incerteza sobre as dívidas.

Meios digitais de pagamentos como a carteira digital Chivo podem ajudar a aumentar a inclusão financeira, disse o FMI. Porém, o país precisa ter uma regulação e um monitoramento mais exigentes da Chivo e do bitcoin.

Compartilhe agora

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *