Mercado de Criptomoedas por TradingView

QR Asset faz primeiro lançamento de ETF de DeFi do mundo na B3 em corrida com Hashdex

A QR Asset está lançando hoje (8) o primeiro ETF, ou fundo de índice do mundo que investe 100% em protocolos de finanças descentralizadas, as DeFi. A listagem é na B3. A empresa listou direto o QDFI11, portanto, sem anunciar captação prévia. Assim, colocou no mercado seu produto poucos dias antes do ETF de DeFi da concorrente Hashdex, que está com captação aberta para seu fundo.

A empresa e a Hashdex travam uma corrida de gato e rato nos ETFs na B3. Em outubro passado, a QR Asset anunciou que teria o ETF de DeFi. A Hashdex anunciou o seu em janeiro como o primeiro do mundo. A previsão de fim da captação, ou seja, de reserva de cotas pelos investidores, é nesta sexta-feira (11) e o lançamento é no próximo dia 15. A cota do QDFI11 custa R$ 10 e a do Hashdex, está na faixa de R$ 50.

O QDFI11 acompanha o Bloomberg Galaxy DeFi Index e tem taxa de administração de 0,9% ao ano. O DEFI11 da Hashdex acompanha o CF DeFi Composite Index – Modified Market Cap Weight, da CF Bencharmarks, uma das maiores criadoras de índices de cripto do mundo. empresa especializada em índices. E tem taxa de administração de 1,3%.

O Brasil é um dos poucos países que tem EFTs de criptoativos na bolsa. E com ETF de DeFi, terá sete. Os EUA, por exemplo, só têm um. Tanto a QR Asset, quanto a Hashdex estão aproveitando as perspectivas de crescimento de uso de DeFi. Até o Banco Central do Brasil, em seus estudos do real digital, prevê conexão com DeFi.

Nas DeFi, os contratos inteligentes em blockchain permitem a negociação direta, sem intermediários como banco ou corretoras. Assim, tendem a ser mais rápidas, mais transparentes e mais baratas. De acordo com o site DeFi Pulse, h´a US$ 86,7 bilhões (cerca de R$ 480 bilhões) alocados nesse segmento. Segundo a QR Asset, o valor negociado em bolsas descentralizadas está na faixa de US$ 800 bilhões, segundo as estimativas.

ETF de DeFi criam facilidade de investimento

Para os investidores, os ETFs criam uma facilidade para se exporem a criptativos, já que podem investir em cotas diretamente pelo banco. Não precisam, também, criar e gerenciar suas carteiras digitais. No entanto, é preciso sempre lembrar que se tratam de produtos de risco e que acompanham índices, portanto, as eventuais subidas e descidas dessas referências.

O Bloomberg Galaxy DeFi Index inclui nove protocolos de finanças
descentralizadas. Assim, o ETF de DeFi da QR Asset tem agora Uniswap (UNI), Aaave Decentralized Lending Pools (AAVE), MakerDao (MKR), Compound (COMP), Yearn.finance (YFI), SushiSwap (SUSHI), 0X (ZRX), Synthetix (SNX) e Curve (CRV).

Essa lista pode, mas todos os ativos devem ter negociação e custódia por instituições reguladas. Também devem ter ao menos três fontes de
preço aprovadas pela Digital Asset Research e atender aos critérios de elegibilidade por três meses consecutivos antes de ser incluído no índice.

De acordo com Fernando Carvalho, CEO da QR Capital, “os ETFs de bitcoin e ethereum foram apenas a entrada para um universo de investimentos muito mais rico e diverso”.

O ETF de DeFi da Hashdex terá no início 12 ativos. A lista inclui Unisawap, AAVE, Compound, Maker, Yearn, Curve, Synthetix, AMP, Polygon, Chainlink e The Graph.

Compartilhe agora

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.