Claudia Mancini
é jornalista e cientista política, especializada em negócios, blockchain e economia digital

A lenda do garimpeiro de tokens: será essa uma profissão em 2021?

O trabalho do garimpeiro hoje é chato, em comparação ao passado, diz Schweifer. Foto: Autor

Era uma vez, lá no Oeste Selvagem, garimpeiros solitários que foram para as montanhas em busca de ouro. O principal trabalho deles era procurar veias do metal ou rios para serem garimpados. Nos velhos e bom tempos, o garimpeiro era mais um caçador de tesouros e um aventureiro, indo para lugares desertos com picareta, pá e panela, à frente dos mineradores.

Em comparação ao que era antes, hoje, o trabalho deles é chato, mais parecido com o de um cientista que avalia colunas de dados. E uma vez que a maioria dos depósitos de ouro são conhecidos, ou ao menos mais fáceis de se acharem por causa da tecnologia, isso agora é mais uma questão legal e de logística sobre se pode-se ou não pegar o “tesouro” que está enterrado.

Ativos instáveis e moedas vacilantes

Graças às consequências da pandemia, estamos vivendo um período em que as moedas globais poderiam se tornar instáveis ou até desaparecer completamente. Há, ainda, um número incrível de produtos financeiros que não são, na realidade, lastreados por nada. Eles só esperam uma instabilidade econômica para desabarem. Essa situação é, em particular, ruim se você quiser guardar dinheiro. A inflação mostra com clareza que as moedas fiat, como dólar, euro e até o franco suíço, não são adequados para serem uma poupança por décadas.

Mas todo mundo precisa ter uma economia guardada de alguma forma para enfrentar dias ruins ou os tempos difíceis que deveremos ver mais à frente. O ideal é que a poupança não suma no primeiro sinal de problema. Assim, a melhor coisa a fazer é investir esse dinheiro. Uma vez que as moedas e produtos financeiros de alto risco não são lastreados por nada, então não atendem aos requisitos de um investimento de longo prazo e seguro. Vamos considerar algumas alternativas.

Tokens resolvem o maior problema dos ativos físicos

Uma das alternativas mais comuns é ter metais preciosos como ouro, prata e platina, por exemplo, no estado físico. Porém, isso não é, provavelmente, a melhor solução para a maioria das pessoas. E, com certeza, não o é para grandes quantidades. Na melhor das hipóteses, não é prático e, pior, tem um risco gigantesco de segurança – a menos que você more em Fort Knox (cidade dos EUA e sede do Exército do país).

O mesmo problema se aplica a outros ativos físicos, como arte, carros antigos e imóveis. Mas, é nesse problema prático e físico que a tokenização pode ajudar.

Com a ajuda de blockchain, grandes quantidades de valores digitais, ou tokens, podem finalmente ser guardados de forma segura e praticamente num só lugar. Isso porque tudo o que é necessário é uma chave de segurança para guardá-lo de forma segura.

Tokens representam ativos reais e valiosos

Os tokens são tipicamente representantes de valores reais, em geral em fragmentos. Essa habilidade de dividir algo em pedaços digitais chama-se fracionamento. E é uma absoluta mudança de jogo. Em especial porque os pedaços podem ser de qualquer coisa com valor, mas sem as questões de praticidade de se guardar e manter seguros ativos físicos.

Essa habilidade só é possível através da tecnologia digital e requer uma recalibragem de como pensamos os ativos e a propriedade deles. Agora, ouro e prata, em barras ou até nas minas, também podem ser de propriedade de alguém em pedaços digitais e, portanto, comercializados ou emprestados entre muitas pessoas. Você pode até tokenizar a licença da mina, assim cada proprietário terá uma participação na receita.

Assim, quadros, carros, casas, tudo pode ser tokenizado em pedaços digitais. Não tem dinheiro para comprar uma casa ou uma barra de ouro? Sem problemas, você pode comprar apenas um centésimo disso – ou até menos. É muito fácil de se fazer isso com tokens. E uma vez que o valor é tokenizado, é armazenado num cofre digital seguro e não na gaveta de meias ou debaixo da cama.

Es wurde kein Alt-Text für dieses Bild angegeben.
Garimpeiros de tokens deve buscar ativos que possam ter tornar pedaços digitais
Procurado: Garimpeiro de tokens

Portanto, sozinhos, os tokens são incrivelmente poderosos e são ferramentas digitais versáteis para lidar com riqueza no mundo real. Porém, esses tokens não aparecem sozinhos. É preciso um emissor, que tem o direito sobre todo o valor do ativo e pode oferecê-lo para venda no formato de tokens. Esse processo de tokenização ainda não está muito disseminado e, em geral, os proprietários dos ativos não se dão conta de que isso seja possível. Portanto, quem vai encontrá-los? E tokenizar o quê?

A demanda por ativos seguros e reais vai disparar uma verdadeira “corrida do ouro” num futuro não muito distante. Assim como aconteceu no passado em períodos de incerteza. E assim como os garimpeiros do Velho Oeste procurando por minas de ouro nas montanhas, os “garimpeiros de tokens”, num futuro próximo, vão buscar ativos que possam ser tokenizados. E vão ajudar os atuais proprietários a entender a riqueza sobre a qual estão sentados.

A tokenização, em particular o fracionamento, é a ferramente para atender a real promessa de distribuição de riqueza. Isso porque abre oportunidades de propriedade, riqueza e estabilidade financeira por meio de trocas peer-to-peer (P2P), pessoa-com-pessoa, sem intermediários. A tecnologia está pronta. Agora, o que falta são pessoas que podem sair pelo mundo identificando ativos tokenizáveis que façam sentido. Em especial para fracionamento.

O que seria o bom garimpeiro de tokens em 2021?
  1. Seja esperto e resistente ao Fomo (fear of missing out), o medo de perder uma chance. Seja cauteloso, em especial, com projetos DeFi (finanças descentralizadas). Tudo o que parece muito bom para ser verdade, é muito bom para ser verdade, ou seja, não há almoço grátis. Há tantas fraudes e projetos que já nascem mortos que às vezes é difícil dizer quais têm mesmo potencial.
  2. Faça decisões de investimento baseadas em fatos e não na moda, na onda, no “potencial”. O ecossistema blockchain está cheio dessas coisas, então mantenha-se em casos já testados e em classes de ativos com um histórico que você possa checar.
  3. Lembre-se de que blockchain não é um curativo mágico e que conserta tudo. Como qualquer tecnologia, tem suas limitações. Pense nos aplicativos. Para tudo hoje há um ou mais app. Porém, às vezes, isso só torna as coisas mais complicadas. É o mesmo com blockchain. A tecnologia, por sua natureza, tem usos específicos para os quais é perfeita e outros para os quais não é. Portanto, implemente tokens por sua força, não porque é uma tecnologia nova charmosa. A tecnologia precisa se encaixar perfeitamente no seu caso, ao invés de ter um caso que precisa estar envolto nas limitações de blockchain…
  4. Faça sua pesquisa e trabalhe com parceiros confiáveis. Um lado bom desse ecossistema tão novo e volátil é que as empresas e as pessoas que sobreviveram até aqui estão, em geral, fazendo algo certo. Então, procure empresas estabelecidas que não prometem dinheiro de graça. Mas acredite em blockchain e em tokenização como forças do bem.

O garimpeiro de tokens seria uma nova profissão? Pode ser em 2021.

* Johannes Schweifer é CEO da Coreledger, empresa de tokenização localizada em Baar, na Suíça. Este artigo foi publicado originalmente em sua perfil no LinkedIn.

0 Comentários

Deixe um comentário

XHTML: Você pode usar estas tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>