Governo, Softex, RNP e CPQD fazem parceria para uso de blockchain no Brasil

Investimento no projeto é de R$ 23 milhões. Imagem: Gerd Altmann.

O Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) confirmou a parceria com Associação para Promoção da Excelência do Software Brasileiro (Softex) para o desenvolvimento do Projeto Ilíada. O objetivo é a promoção de ações de pesquisa e desenvolvimento tecnológico em blockchain. A Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP) e o Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações (CPQD) também são parceiros no projeto.

O projeto está no âmbito dos Programas e Projetos Prioritários de Informática (PPI). A coordenação é da Softex e a duração é de 27 meses, portanto até 25 de janeiro de 2026 – já que a publicação no Diário Oficial da União (DOU) foi no último dia 24 de outubro. A estimativa de investimento é de R$ 23 milhões. 

De acordo com a RNP, as ações deverão incluir a implantação de um ambiente de experimentação (testbed) de blockchain multiplataforma para testes de protocolos e aplicações. Além disso, haverá o que chamam de observatório para avanços dos estudos da tecnologia. E para completar, haverá seleção de bolsistas de instituições acadêmicas, Institutos de Ciência e Tecnologia (ICTs) e startups para desenvolvimento de aplicações em blockchain.  

A blockchain, juntamente com a Inteligência Artificial e a Internet das Coisas, são consideradas tecnologias chaves para alavancar a transformação digital nos diferentes setores da economia e da sociedade, com destaque para as oportunidades ligadas ao aprimoramento de serviços públicos e ao desenvolvimento do governo digital. Desta forma, no contexto das transações online, viabilizadas pelo protocolo de Internet, a tecnologia blockchain pode ajudar a aumentar a confiança entre as partes sem os riscos, os custos e a complexidade decorrentes de um controle centralizado, de acordo com a RNP.    

“A questão motivadora central do projeto Ilíada é a necessidade de empreender ações de pesquisa e desenvolvimento tecnológico para acompanhar o estado da arte da blockchain, contribuindo para que o país também tenha o domínio da tecnologia”, diz o diretor adjunto de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação da RNP, Leandro Ciuffo. “Além disso, o projeto visa contribuir para o amadurecimento do ecossistema blockchain no Brasil”.  

Compartilhe agora

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *