Entradas em investimentos de criptos batem recorde; acumulado de 2024 encosta no de 2021 todo

Brasil tem fluxo positivo. Imagem: Kanchara, Unsplash.

Em meio ao atual período de recordes de preços do bitcoin – cripto que hoje (13) bateu novo recorde ao superar US$ 73 mil -, produtos de investimentos em criptomoedas, incluindo os fundos de bitcoin à vista negociados em bolsa (ETFs) nos Estados Unidos (EUA), também estão registrando volumes recordes de entrada de recursos. Aliás, o fluxo deste ano, de US$ 10,3 bilhões, é perto do recorde de US$ 10,6 bilhões em todo o ano de 2021. E o Brasil segue o movimento, ao menos em alguns indicadores.

De acordo com o levantamento periódico da CoinShares, na semana passada, até a sexta-feira (8), os produtos de investimento em ativos digitais tiveram uma entrada recorde de de US$ 2,7 bilhões, o que levou a anual a US$ 10,3 bilhões. A comparação com 2021 é importante, porque foi quando o mercado bateu recordes históricos antes de entrar no vale do inverno cripto.

Além disso, o movimento financeiro semanal foi de US$ 43 bilhões, superando o recorde da semana anterior de US$ 30 bilhões. E como álém das entradas, os preços das criptomoedas também subiram, o total de ativos sob gestão (AuM) bate o recorde de US$ 94,4 bilhões, uma alta de 14% na semana e de 88% no acumulado de 2024.

Brasil com fluxo positivo

Nesse levantamento, o Brasil aparece como o terceiro país, daqueles identificados individualmente, como a maior entrada de recursos. Em primeiro lugar estão os EUA, com US$ 2,8 bilhões, seguidos pela Suíça, com US$ 21 bilhões, e Brasil, com US$ 18 milhões. Enquanto isso, Canadá, Alemanha e Suíça tiveram saídas líquidas por conta de venda para realização de lucro. Os números foram de US$ 35 milhões, US$ 77 milhões e US$ 39 milhões, respectivamente.

O Bitcoin continuou sendo o foco dos investidores, recebendo US$ 2,6 bilhões em entradas, com o acumulado do ano agora representando 14% do AuM total. Apesar dos recentes aumentos de preço, as entradas em posições vendidas de Bitcoin continuam, com mais US$ 11 milhões na semana passada.

Destaque também para Solana, Polkadot, Fantom, Chainlink e Uniswap, com US$ 23 milhões, US$ 2,7 milhões, US$ 2 milhões, US$ 2 milhões e US$ 1,6 milhões, respectivamente.

Voltando aos ETFs

Voltando aos ETFs nos EUA, de acordo com a Bitmex, esta segunda-feira (12) também foi mais um dia de recorde de entrada líquida de recursos nos fundos à vista de bitcoin. Foram US$ 1,045 bilhão, com a Blackrock, a maior do segmento de ETFs do mundo, registrando US$ 849 milhões. Em bitcoin, o recorde foi de 14.706, que assim superou o de 14.193 de 11 de janeiro, no lançamento dos fundos. No total, os fundos acumulam entrada líquida de US$ 4 bilhões.

Em bitcoin, o recorde foi de 14.706, que assim superou o de 14.193 de 11 de janeiro, no lançamento dos fundos. No total, os fundos acumulam entrada líquida de US$ 4 bilhões.

Compartilhe agora

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *