Claudia Mancini
é jornalista e cientista política, especializada em negócios, blockchain e economia digital

Polícia Federal aumentou em 300% investigações de crimes com criptoativos

A Polícia Federal registrou um aumento de 300% nas investigações de crimes com criptoativos entre 2020 e 2021. “E nas investigações, em curto espaço de tempo apreendemos R$ 1,5 bilhão”, segundo Aline Pedrini, delegada de Repressão à Crimes Financeiros da Polícia Federal. A declaração aconteceu nesta manhã (27) na audiência pública da Câmara dos Deputados sobre o assunto.

Para exemplificar o aumento dos crimes com criptoativos, a delegada citou também estudo da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) sobre notícias crimes que a instituição enviou ao Ministério Público 2019 e 2020. Foram 305 mil, sendo 75% com indício de pirâmides financeiras e 43% com relação a pirâmides que envolviam criptoativos.

De acordo com Celso Luis Serra, procurador da CVM, pirâmides não são uma novidade. Acontece que agora se são em escala nacional por meio das redes nacionais e envolvem criptoativos também.

Além disso, a lei que estabelece crime de seis meses a dois anos de prisão é de 1951. Assim, “é muito singela para a gravidade que isso pode atingir hoje. Em especial com o efeito das redes sociais”. À parte o fato de que é um crime processado em âmbito estadual, quando hoje é nacional.

Para ele, o combate a crimes com criptoativos precisa considerar educação financeira, que é algo de longo prazo. Além disso, é necessiaro atualizar a lei penal – algo que o projeto de lei 2305/15 busca fazer -, e um canal e monitoramento centralizado.

0 Comentários

Deixe um comentário

XHTML: Você pode usar estas tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>