Claudia Mancini
é jornalista e cientista política, especializada em negócios, blockchain e economia digital

Ministério da Economia confirma que criptos, como bitcoin, podem ser usadas em capital de empresas

Ofício caracteriza bitcoin como bem, diz o advogado Rodrigo Borges.

O Departamento Nacional de Registro Empresarial e Integração (DREI) do Ministério da Economia emitiu ofício, nesta terça-feira (1), sobre a possibilidade de uso criptomoedas, como o bitcoin, como meio de pagamento de operações societárias e integralização de capital de sociedades.

De acordo com o documento (Ofício Circular SEI nº 4081/2020/ME ), não há procedimentos especiais para o registro dos atos societários que envolvam criptomoedas, “devendo ser respeitadas as mesmas regras aplicáveis à integralização de capital com bens móveis”.

O ofício afirma ainda que não há nada, legalmente, que impeça a integralização de capital com criptomoedas.

Dúvidas da Jucesp

O esclarecimento ocorre após questionamento da Junta Comercial do Estado de São Paulo (Jucesp). O órgão perguntou qual era a natureza jurídica das criptos. Os questionamentos incluíam potencial vedação legal para integralização de capital com as moedas e formalidades para casos de operacionalização do registo de atos societários, se fossem usadas.

Já é permitido a integralização do capital social com bens e dinheiro. Sendo o bitcoin um bem, nada mais natural do que ser permitido sua utilização, aplicando a mesma regra às outras espécies de bem, diz o advogado Rodrigo Borges, sócio do CB Associados.

Caracterização como bem

“Do ponto de vista formal, não houve nem autorização e nem vedação, apenas a caracterização de bitcoin como um bem, e por isso, se torna possível, desde que o observadas certas regras, da integralização”, completou.

André Luiz Santa Cruz Ramos, diretor do DREI, e Amanda Mesquita Souto, coordenadora-geral do departamento, lembram no documento que o Banco do Central (BC) diz que moedas virtuais não são moedas eletrônicas. Também esclarecem que a Comissão de Valores Mobiliários CVM) considera que dependendo do contexto, podem ser valores mobiliários.

Além disso, citam que a Receita Federal considera as criptomoedas como ativos financeiros. Portanto, devem ser declarados no imposto de renda como “outros bens”.

0 Comentários

Deixe um comentário

XHTML: Você pode usar estas tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>