Claudia Mancini
é jornalista e cientista política, especializada em negócios, blockchain e economia digital

China proíbe negociação de criptomoedas e mineração

Foto: Macau Photo Agency, Unsplash.

A China tentou colocar mais algumas pás de cal na mineração e negociação de criptomoedas no país. O governo informou hoje (24) que proibiu transações de critpos e apertou o cerco contra a mineração, indo além das medidas de maio deste ano que foram no mesmo sentido. Houve impacto negativo na cotação do bitcoin e altcoins, assim como nos preços de ações de empresas ligadas ao setor.

O governo alega que as negociações de criptomoedas aumentaram e perturbam a ordem econômica e financeira. Assim, estão “gerando atividades ilegais e criminosas, como jogos de azar, arrecadação ilegal de fundos, fraude, esquemas de pirâmide e lavagem de dinheiro, colocando seriamente em risco a segurança da propriedade das pessoas”.

Dessa forma, prepara ainda mais o terreno para que sua moeda digital de banco central (CBDC) seja a principal ou única escolha de moeda digital no país. Até onde se sabe, seu projeto é o mais avançado do mundo nessa área.

As proibições não se relacionam à tecnologia blockchain, da qual a China é uma entusiasta. O país chegou a declarar que seria o hub mundial de uso da solução. Além disso, usa e testa em diversas áreas.

Em relação à negociação de criptomoedas, os reguladores financeiros e de segurança cibernética da China informaram que bancos e outras instituições financeiras não podem oferecer serviços relacionados a criptomoedas.

China investigará quem trabalha em bolsas de criptomoedas no exterior

Quem trabalhar para bolsas que estão no exterior, mesmo que seja em suporte para tecnologia, será investigado. Em 2017, a China proibiu o câmbio entre moedas fiduciárias e criptos, além de bolsa de criptomoedas. Essas saíram no país, só que parte de suas operações continuaram em terras chinesas.

A cripto Tether (USDT), a principal moeda estável (stablecoin) e usada em finanças descentralizadas, foi considerada ilegal. O governo avisou que canais que trazem informações sobre criptomoedas serão fechados e a polícia será feroz contra quem exercer atividades ilegais.

Em mineração, a saída do país dessa atividade não será agora, mas vai acabar, segundo o governo. A alegação é de que é um setor que polui muito, já que usa muita energia – o que na China significa, basicamente, uso de carvão. Assim, diz que é uma indústria “fora de moeda” e inconsistente com seus planos de sustentabilidade.

Mineração está com dias contados

Portanto, o que é ilegal será fechado, não haverá permissões para novas mineradoras e quem está no mercado deve começar a se preparar para sair dele. Isso inclui acabar com os benefícios fiscais que governos locais deram para mineradores, ou seja, incentivos para esses negócios existirem.

Uma das formas que o governo vai verificar se há atividade ilegal de mineração é pelo consumo de energia.

O valor do bitcoin chegou a cair para US$ 40.900 e subiu um pouco, mas mantinha cotação em baixa. Às 12h42, a queda em 24 horas era de 3,86%, para US$ 41.884, segundo o CoinMarketCap. Ethereum caia 8,13% para US$ 2.849.

*Atualização em 24/9/21 às 12h45 com detalhes das proibições e cotações de bitcoin e ether.

0 Comentários

Deixe um comentário

XHTML: Você pode usar estas tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>