Mercado de Criptomoedas por TradingView

CEO da Binance defende exclusão de segregação patrimonial de PL das criptos

É UMA MÁ IDEIA. Foi assim, com letras maiúsculas mesmo – o que nas mídias socias equivalem a levantar a voz -, que Changpeng Zao, o CZ, CEO da Binance, se pronunciou no Twitter sobre a defesa de chamada segregação patrimonial. Isso significa a separação entre o que é patrimônio dos clientes e o que é ativo das exchanges. Esse é um dos pontos em que a Binance e empresas como o Mercado Bitcoin se opõem no projeto de lei que regula as plataformas de cripto no Brasil. CZ deu sua opinião ontem (31), portanto um dia antes de nova previsão de análise do projeto de lei brasileiro sobre regras para plataformas criptos pela Câmara dos Deputados.

“A partir de nossas conversas, alguns países querem um livro de pedidos (liquidez) segregado. Isso é uma MÁ IDEIA por várias razões. Uma liquidez grande é um dos melhores mecanismos de Proteção ao Consumidor. Isso protege contra a manipulação de mercado, a volatilidade e reduz as liquidações”, escreveu ele. E completou: “imagine se dividirmos a liquidez por 180 países. Isso tornará 180 vezes mais fácil para grandes traders agitar os mercados e aumentar a volatilidade de forma significativa”. A Binance é a maior exchange do mundo e por isso, potencialmente tem uma facilidade de liquidez maior do que outras empresas do setor.

O swing trade é uma técnica de mercado que serve a traders que sabem operar em mercados voláteis, ao contrário do que acontece com os investidores comuns, para os quais esses movimentos rápidos de altas e baixas são uma enorme dor de cabeça. De acordo com CZ, os investidores que lidam com arbitragem, ou seja, compra de um ativo num mercado e venda em outro para ganhar dinheiro com a diferença de preços entre países, vão tentar equilibrar os preços. Mas não serão “nem perto tão eficientes quanto um livro de pedidos”. E ganham dinheiro entre as operações, o que é pago pelos consumidores, completou.

A posição do Mercado Bitcoin é a mesma de outras empresas como  Bitso, EasyCripto, Foxbit, Novadax, Ripio, além das plataformas Alter – que está sendo desativada pela Méliuz -Uniera, Zro Bank, Travelex Bank e OWS. Todas fazem parte da Associação Associação Brasileira de Criptoeconomia (ABCripto).

Além disso, CZ disse que há uma falta de entendimento sobre como funciona o mercado. Isso porque numa exchange, o cliente não escolhe a sua contraparte. Apesar operam com o livro de pedidos, que acaba sendo o broker. Assim, a liquidez em larga escala também oferece preços melhores para os usuários, menor spread – que basicamente é a diferença de valores na compra e venda -, e menor “derrapagem” (slippage, em inglês), que é a diferença entre o preço esperado e o realmente executado. Para o CEO e fundador da Binance, essa é também uma forma importante de proteção ao consumidor.

O Deputado Expedito Netto (PSD-RO) apresentou um relatório que além de excluir a segregação patrimonial, excluiu a obrigatoriedade das corretoras de terem CNPJ e enviar ao Banco Central informações sobre suas atividades assim que o PL for aprovado. Portanto, terão seis meses para se adequar às novas regras. Netto eliminou pontos que o Senado Federal aprovou, depois que a Câmara havia feito a primeira avaliação do PL que está rodando no Congresso há sete anos.

Compartilhe agora

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.