BlackRock e empresa de tokenização se unem para lançar fundo digital com milhões em ativos

A BlackRock, maior gestora de ativos do mundo, anunciou o USD Institutional Digital Liquidity Fund, um fundo de ativos tokenizados criado em parceria com a Securitize, empresa líder em serviços financeiros para o setor.
Essa inovação ganha ainda mais contexto com o lançamento da Libre, um protocolo de distribuição de fundos apoiado por Nomura´s Laser Digital e Webn de Alan Howard.
A Libre também pretende utilizar ETFs da BlackRock para prover liquidez digital diretamente na blockchain. Sendo assim, investidores poderão alocar seus recursos temporariamente em um fundo similar a um fundo monetário, sem precisar sair da plataforma, facilitando a troca entre diferentes fundos.
De acordo com os documentos protocolados junto à Securities and Exchange Commission (SEC), o novo fundo exigirá um investimento mínimo de US$100.000 de participantes externos. Já a comissão de vendas do produto está estimada em US$525.000, sem taxa de aquisição adicional.
O fundo, constituído nas Ilhas Virgens Britânicas, ainda não tem data de lançamento oficial. No entanto, especula-se que ele recebeu um aporte inicial de US$100 milhões na stablecoin USDC utilizando a rede Ethereum.
Além disso, embora o documento não revele quais ativos o fundo deterá, a presença da Securitize sugere que o produto esteja relacionado à tokenização de ativos do mundo real (RWA).
O RWA é um processo que transforma ativos tradicionais, como ações, imóveis ou commodities, em tokens digitais registrados em blockchains. Assim, esses ativos podem ser fracionados, negociados e gerenciados de forma mais eficiente e transparente no mercado de criptomoedas, abrindo novas oportunidades para investidores e democratizando o acesso a diferentes classes de ativos.

BlackRock como protagonista no ecossistema blockchain

A entrada da BlackRock no mundo das criptomoedas trouxe mudanças interessantes em termos de liquidez. Para exemplificar, em apenas dois meses desde a aprovação do ETF spot de Bitcoin pela SEC americana, a gestora, junto da Fidelity Investments, dominou o cenário, registrando entradas vultosas no produto.
O volume de negociação do ETF da BlackRock já ultrapassou US$100 bilhões, e o valor sob gestão (AUM) do produto supera US$15 bilhões.

Compartilhe agora

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *