Rússia, um dos países que mais mineram, vai regular criptomoedas

Rússia diz que vai inserir criptomoedas no sistema financeiro.
Rússia, um dos países que mais mineram, regulará criptomoedas e assim terá maior controle do mercado; decisão vem após indicação de banimento.

Mais um. O governo da Rússia divulgou nesta terça-feira (8) à noite que as moedas digitais serão reguladas para integrá-las ao sistema financeiro. E assim, garantir o controle dos fluxos de caixa no circuito das instituições de crédito. Haverá “obrigações estritas para todos os participantes do mercado profissional e ênfase na proteção dos direitos dos investidores comuns”, diz o comunicado.

Assim, o governo da Rússia vai oficializar cerca de 2 trilhões de rublos (R$ 147 bilhões) em criptomoedas, de acordo com outro documento do governo. A Rússia é um dos países com maior mineração de criptomoedas do mundo.

“A implementação do conceito garantirá a criação do marco regulatório necessário”. Dessa forma, “tirará a indústria de moeda digital das sombras e criará a possibilidade de atividades comerciais legais”, afirma o comunicado. O título do documento fala sobre a aprovação do “conceito de regulamentação legislativa da circulação de moedas digitais”.

Rússia diz que protegerá investidor de criptomoedas

Agora, de acordo com o governo da Rússia, haverá divisão dos investidores em qualificados e não qualificados. E isso será possível por meio de requisitos de licenciamento para plataformas de criptomoedas. Esses, por sua vez, terão proteções financeiros em termos de liquidez e adequação de capital. Além disso, o governo estabeleceu a obrigação dos participantes do mercado de informar os cidadãos sobre o aumento dos riscos associados às moedas digitais.

A decisão da Rússia se segue ao estudo “Criptomoedas: tendências, riscos e medidas” e declarações do Banco Central russo que sugeriam que a mineração, negociação e uso de criptomoedas deveria ser ilegal. Portanto, os russos deveriam usar a moeda digital do banco central (CBDC), que está em estudo. Os motivos seriam a volatilidade e fraudes com as criptos.

A notícia sobre a Rússia se segue, ainda, ao anúncio do governo da Índia, no início de fevereiro de que o país vai taxar lucros com criptomoedas. A taxa é de 30%, em linha com a faixa mais alta de imposto de renda do país, para quem ganha a partir de R$ 110 mil ao ano. Mas, também criou um imposto de 1% cobrado nas transações e no momento da operação.

Compartilhe agora

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *