Mercado de Criptomoedas por TradingView

O que define se uma pessoa é boa em seu trabalho, inclusive em cripto?

O que define se uma pessoa é boa em seu trabalho, inclusive em cripto? O que define se uma pessoa tem conteúdo e didática para ensinar outras pessoas? Você já parou para pensar nisso?

Quando participei voluntariamente de um grupo internacional para inclusão de mulheres em cripto e blockchain, uma das histórias que me chamou a atenção foi a de uma youtuber da Turquia. Primeiramente, ela revelou como é a situação das mulheres em seu país. Lá, podem votar, contanto que seu pai ou seu marido falem em qual candidato; podem ter conta bancária, contanto que seu pai ou seu marido façam a gestão do seu dinheiro. Sim, em plena década de 2020 isso ainda acontece em muitos países – ou muito pior. 

Entretanto, como “jovem e rebelde”, ela viajou escondido com seu namorado para passar uns dias na França e seu namorado lhe falou sobre bitcoin. Muito bonita e com boa fala, ele a incentivou a criar seu canal no Youtube e falar sobre criptomoedas. Ela ficou receosa no início, mas passou a estudar conceitos e fundamentos de blockchain, investimentos e criptomoedas e, quando se sentiu segura, criou o seu canal.

Ela foi a primeira pessoa em seu país a criar um canal sobre esse tipo de conteúdo. Começou a ficar famosa, seu canal começou a crescer, e pouco tempo depois homens criaram seus próprios canais também. Quando isso aconteceu, ao invés de se fortalecerem como comunidade, seu público, em maioria masculino, passou a mudar o tom dos comentários em seus vídeos.

Antes, dúvidas e sugestões de temas, depois, perguntas sobre seu peso, por que estava magra ou gorda, por que estava sem maquiagem ou com maquiagem exagerada. Sem julgamentos, eu lhes pergunto: quantas vezes já não julgamos mulheres por sua aparência ao invés de seu conteúdo? Fazemos o mesmo quando se trata de comunicadores homens?

Isso é mais uma barreira cultural ao redor do mundo que a nossa comunidade começa a derrubar. Precisamos fazer esse exercício mental diariamente: não julgar as outras, não julgar a nós mesmas. Quando nos apoiamos, nos fortalecemos e abrimos caminho para que outras mulheres possam entrar no mercado de criptomoedas e de blockchain e fazerem suas contribuições, seja no “front-end”, seja no “back-end”. 

#Paz. Um beijo e até a próxima!

Daniela Von Hertwig Meyer é VIP Sales Manager da Binance na América Latina. Especialista em marketing, criptomoedas e tokenização da ativos.

Outros artigos da colunista:

Por que precisamos falar sobre mulheres no mercado cripto?

Sobre mulheres em criptomoedas e blockchain

Compartilhe agora

1 comentário em “O que define se uma pessoa é boa em seu trabalho, inclusive em cripto?”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.