Mercado de Criptomoedas por TradingView

Inovação abre caminhos para os jovens. E tem muito espaço para eles

Mauricio Conti lembra que o Brasil precisa formar formar 797 mil profissionais de tecnologia até 2025.

A web foi uma inovação tecnológica muito criticada na época do seu lançamento. “Como? “Um lugar onde as pessoas podem publicar informações e mandar correios eletrônicos? Isso é realmente possível?” Bill Gates, em uma entrevista para David Letterman, teve muita dificuldade em explicar o conceito da internet pela falta de abertura do apresentador.

Apesar da resistência inicial ser natural do ser humano quando precisamos nos adaptar a algo novo, a internet mostrou a necessidade de oportunizar a inovação tecnológica, pois tende sempre a impulsionar o desenvolvimento humano. Um indício disto é como o incentivo à tecnologia pode mudar a vida de jovens e adolescentes. Observe isso nos exemplos abaixo.

Jovem fará um curso da NASA: Laysa Peixoto Sena Lage, em uma entrevista para a Revista Forbes, conta um pouco de como a astronomia passou a fazer parte da sua vida e revela seu sonho de ser astronauta. Indiscutivelmente, após descobrir um asteroide, a brasileira de apenas 18 anos, está mais perto de viajar no espaço. Por meio de uma campanha promovida pela NASA, Laysa teve a oportunidade de enviar relatórios de suas análises e ter seus estudos reconhecidos.

O Projeto Caça Asteroides é uma parceria da NASA com a The International Astronomical Search Collaboration que busca incentivar e popularizar a ciência. Graças à ação, que tem em seu escopo a inovação tecnológica, cerca de 1.300 jovens terão a chance de “analisar, identificar e enviar os relatórios dos possíveis asteroides ou objetos próximos à Terra”.

Inovação tecnológica atrai jovens para robótica

F1 in Schools: Um exemplo bastante próximo a nós, uma vez que aconteceu na cidade de São Paulo no final de maio. O Festival SESI de Robótica apoia 100% a inovação tecnológica, e por isso contou a apresentação de 41 times de 3 a 6 competidores. Todos contavam com um técnico adulto e precisavam organizar escuderias, um plano de negócio, estratégias de mídias sociais, patrocínios e desenvolvimento de um projeto social. Dentre as modalidades, o F1 in Schools teve uma equipe patrocinada pela wconnect.

Particularmente, poder investir e impulsionar jovens talentos é algo que me motiva. Acredito muito no desenvolvimento que vem das novas gerações. No início deste ano, em São José dos Campos, ocorreu a 5ª edição do Science Days Symposium. Na oportunidade, participei do painel smart cities, com o tema profissões do futuro na era da web3. O evento foi uma parceria do Instituto Alpha Lumen e do The Michaelis Foundation for Global Education.
O setor de tecnologia, precisa tanto da nossa atenção que, segundo a Brasscom, será preciso formar 797 mil novos profissionais de tecnologia até o ano 2025.

E agora eu vou dar um spoiler. A wconnect está lançando, em parceria com a Lavore Mio, um e-book com as melhores oportunidades para profissionalização gratuita ou bastante acessível na área tecnológica. Gostou e se interessou pelo assunto? Fique de olho nas atualizações do meu Linkedin e do Blog Connectados.

*Mauricio Conti é: Engenheiro de Computação, founder do Simples ID, CPO wconnect, mentor e influenciador digital nas áreas web3, blockchain, tokenização e NFT.

Outros artigos de Maurício Conti:

Atlas: de robô a investigação da PF da maior pirâmide de cripto do Brasil

Ausência de blockchain mostra pouca segurança e facilita ataques

O dia em que fui bloqueado pela Meta por falar em cripto

A tokenização de ativos imobiliários veio para ficar

Como blockchain poderia ter evitado uma “sangrenta” guerra cibernética?

R$ 26 bilhões em jogo, um roubo de criptomoedas que fez história

Metaprofissões e blockcarreiras: conheça as novas possibilidades em TI

Conheça as 8 startups que apostam no uso de blockchain

Compartilhe agora

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.