Fique de olho nas soluções de segunda camada, a L2

Orlando Telles. Foto: Rio Crypto Day.

Neste mês, estive no ETH Barcelona 2023**, principal evento da comunidade da ETH na Espanha, e tive a oportunidade de entrevistar representantes de diversos protocolos associados ao ecossistema de soluções de escalabilidade, incluindo Scroll, Polygon (MATIC), Optimism (OP) e L2 Beat.

Percebe-se que está se formando uma tendência bem interessante nesse segmento. Por isso, é fundamental ser compreendida pelas pessoas que estão no mercado de criptoativos e blockchain.

L2 é uma grande narrativa

O primeiro aspecto que é importante notar é que o segmento de soluções de escalabilidade da Ethereum (a segunda camada, ou L2) está se tornando uma grande narrativa em meio ao mercado. Durante o Ethereum Barcelona, esse foi o tema mais abordado.

Além disso, as próximas atualizações da rede Ethereum, EIP 4844 (proto-danksharding) e danksharding devem contribuir muito com o crescimento desse setor. Isso porque reduzem o custo de operação dessas soluções em até 100 vezes.

Ao conversar com Jordi Baylina, co-foundador da Polygon ID e Polygon Hermez, e Ahmed Castro , head de relacionamento com desenvolvedores da Scroll, ambos afirmaram que o EIP 4844 será um catalisador no crescimento para esse ecossistema.

Ainda estamos no início

Na entrevista que realize com Bartek Kiepuszewski, co-foundador da L2 Beat, tornou-se evidente que o mercado de L2 ainda está em seu início. Apesar de promissor, as soluções ainda estão testando e validando suas ferramentas e diversas falhas podem ocorrer.

Torna-se fundamental analisar a segurança dessas soluções antes de utilizá-las. Além disso, é preciso realizar um extenso estudo do time para evitar cair em eventuais golpes, visto que o crescimento dessa narrativa pode criar projetos pouco estruturados ou mal-intencionados.

A melhor dica neste sentido é realizar uma extensa pesquisa visando compreender os projetos e focar em atores que possuem mais tempo de mercado e que passarão por mais testes de estresse em sua estrutura.

Novos projetos em mainnet e Polygon 2.0

Neste mês, Linea e Coinbase, solução de segunda camada da Consensys e Coinbase, respectivamente, entraram em operação em mainnet. Esse é mais um sinal do início da consolidação desse segmento, que também reforça o fato de que se trata de uma solução que ainda está no início de seu desenvolvimento.

Em minha entrevista como Castro, ele afirmou que possivelmente também deve-se observar a Scroll em mainnet ainda em 2023.

Outro ponto a se destacar é a Polygon 2.0, que se trata do processo de reestruturação do ecossistema do ativo. As 4 grandes atualizações já foram anunciadas focando desde na nova arquitetura da rede até na estruturação de um novo token que substituirá a MATIC, o token POL.

Ao questionar Baylina sobre a Polygon 2.0, alguns pontos ficaram mais claros sobre o futuro do projeto. Em especial que o objetivo final da Polygon é funcionar como um grande processador de transações, o qual irá direcionar as transações dos usuários para estrutura mais adequada.

Outro destaque foi que essas novas arquiteturas da Polygon 2.0 possuem esse formato com o objetivo de possibilitar o compartilhamento de liquidez e informações entre as múltiplas soluções de escalabilidade da Polygon, assim como construir um sistema de staking em conjunto.

Mais especificamente sobre a Polygon ZK EVM, os próximos passos do projeto serão em estruturas de Data Availability (DA). O objetivo é comprimir mais informações reduzindo o custo de operação em cinco vezes e se preparar para o EIP 4844, o qual deve reduzir o custo de operação em mais de 10 vezes.

Há uma expectativa que o custo de operação na Polygon ZK EVM possa ser reduzindo em até 50 vezes nos próximos meses. A previsão do lançamento da versão final da solução é para o final deste ano, mas como Jordi comentou, esse é um cenário otimista que eles estão fazendo o seu melhor para viabilizar, mas podem existir atrasos.

Acompanhe as soluções de L2

Em resumo, o Ethereum Barcelona mostrou que é fundamental acompanhar o segmento de soluções de escalabilidade da Ethereum. Apesar de um setor que está em seu início, existem grandes catalisadores que podem acelerar muito essa dinâmica e tornar essa infraestrutura uma das mais relevantes dos principais ecossistemas de cripto em poucos anos.

*Orlando Telles é especialista em Tokenomics e fundador do Orlando On CryptoÉ formado pela Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Atuária da Universidade de São Paulo (FEA-USP).

Outro artigo do autor:

Criptoativos são valores mobiliários?

**O Blocknews foi parceiro de mídia do ETH Barcelona 2023.

Compartilhe agora

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *