Criptomoeda para comprar imóvel é possível

Compra de imóvel com criptomoeda já é possível.

Uma criptomoeda pode ser usada como um investimento, mas também como forma de pagamento de diferentes produtos, inclusive de imóvel. Por isso, é preciso compreender como esse processo funciona.

A criptomoeda é uma moeda virtual, ou seja, um código. E tem esse nome porque assim como a moeda física, tem números de série, marcas d’água e outros dispositivos de segurança criptografados. Além disso, corre em redes que usam a tecnologia blockchain, o que torna mais difícil ataques cibernéticos, roubos das criptos e violação das transações. Portanto, as operações são mais seguras.

Para ter criptomoedas, é preciso minerá-las, ou seja, se conectar à rede de uma moeda virtual e ajudar a validar as transações. É como resolver uma operação matemática. Quem consegue, ganha moeda. A outra forma é comprar de quem já possui, ou por meio das redes em operações diretas entre quem compra e vende, ou por meio de empresas como corretoras e bolsas de criptomoedas.

As transações são só realizadas pela internet, sem a burocracia convencional e a princípio, sem intermediários, o que facilita a negociação. Também caracterizam-se pela falta de um sistema monetário regulamentado e pela dependência das instituições financeiras como os bancos tradicionais e bancos centrais. Sendo assim, se o cliente quer comprar um apartamento à venda e tem criptomoedas, já é uma possibilidade a se pensar.

Para comprar criptomoeda é preciso blockchain

Para quem ainda não tem criptomoeda, é importante compreender que as negociações com essas moedas virtuais ficam registradas nas redes. Em redes abertas, todos podem ver os códigos das transações, mas não se sabe de quem são – a não ser que alguém tenha dados do comprador ou vendedor. Depois da mineração ou da compra, a criptomoeda é armazenada numa carteira digital pessoal com acesso por computador ou dispositivo móvel, as hard wallets, que são uma espécie de pen drive. Há quem prefira deixar sob custódia de uma empresa.

 A blockchain, que está por trás das criptomoedas. Permite o registro e compartilhamento de dados. Mas, a diferença é que isso é feito de forma descentralizada, ou seja, em diferentes computadores. Essa rede é uma espécie de livro-razão e o fato de ter alto nível de segurança permite que não haja intermediários para criar um senso de confiança nas negociações entre as partes.

A tecnologia está também tendo sendo usada por empresas e governos. Por isso, grandes empresas de tecnologia investiram nisso, como  IBM. Entre os governos, Brasil, Emirados Árabes Unidos, Estônia e Cingapura estão entre os que adotaram a tecnologia.

Utilidade da criptomoeda

A lógica da moeda digital é a mesma que a da moeda corrente. Sua função é basicamente permitir a transação de compra e venda de bens e serviços e servir como reserva de valor. Grandes empresas como WordPress, Dell e Soundcloud agora aceitam pagamentos em criptomoeda. Outra possibilidade é a transferência de valor pela internet sem a cobrança de taxas por parte de instituições financeiras e bancos.

Criptomoeda pode chamar a atenção do investidor quando o preço sobe muito, mas é preciso estar atento às oscilações dessa moeda. É um opção de investimento muito volátil com muitas, e às vezes, bem fortes quedas e altas de preços. E não se deve investir  mais do que 3% do patrimônio, dizem especialistas na área.

Caso o cliente opte pelo serviço de uma corretora que intermedie as transações, vai precisar atender a requisitos como os que o mercado financeiro costuma cobrar. Como fornecer seus dados para se cadastrar e fazer operações. É possível comprar frações de criptos porque essas têm várias casas decimais. No caso de bitcoin, são oito, já a ethereum tem 18. Assim, para comprar uma casa de R$ 150 mil , por exemplo, hoje (26) seria preciso ter o equivale a cerca de 0,75 bitcoin.

Bitcoin e ethereum

O bitcoin e o ethereum são as duas maiores criptomoedas em valor de mercado e, assim, as mais usadas. Bitcoin foi a primeira, apresentada em 2008 num white paper assinado pelo pseudônimo Satoshi Nakamoto, que até hoje ninguém sabe que é – ou quem são, porque pode ser um grupo de pessoas.

Ethereum foi proposto por Vitalik Buterin em 2014. É a moeda que permitiu a criação de novos serviços financeiros em blockchain, uso por empresas para contratos inteligentes (smart contratos) e negociações de valores e criação de novos tipos de criptos. Exemplos incluem as finanças descentralizadas e os tokens não fungíveis (NFTs).

Usar criptomoeda para comprar imóvel

Assim como a criptomoeda pode ser um investimento, também é  importante consolidar parte de seu capital. Afinal, diversificar investimento é uma parte importante para manter a resiliência a problemas potenciais.

Diante disso, ao contrário da volatilidade de uma criptomoeda, poucos investimentos podem ser tão estáveis ​​no longo prazo quanto um imóvel. O setor imobiliário sempre foi bem recebido pelo mercado financeiro, já que muitas vezes não é abalado pela crise e sempre teve crescimento. Pode parecer contraditório pela questão da volatilidade, mas comprar imóvel utilizando a criptomoeda é possível e pode ser mais fácil do que se imagina.

Compartilhe agora

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *