Claudia Mancini
é jornalista e cientista política, especializada em negócios, blockchain e economia digital

Dinheiro digital pode salvar cavalos de maus tratos

Usar dinheiro solidário digital para salvar cavalos em situação de risco foi uma das soluções propostas no Global Blockchain Challenge, que aconteceu em novembro, na cidade espanhola de Málaga. Cada equipe do desafio deveria indicar uma contribuição para que se atinja um dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU (ODS), conforme reporta o site espanhol de notícias Blockchain Economía.

A equipe que trabalhou para o ODS15, que trata da proteção, recuperação e promoção do uso sustentável dos ecossistemas, sugeriu o desenvolvimento de uma plataforma de dinheiro solidário, que integraria as doações, ONGs, doadores e oráculos – que fornecem as informações necessárias para execução dos contratos inteligentes em blockchain. Para a prova de conceito (POC), o time usou a Salva un Cavallo, uma ONG que trata cavalos abandonados ou maltratados e busca quem queira adotá-los.

O Challenge aconteceu um dia antes do Convergence – The Global Blockchain Congress, que ocorreu nos dias 12 e 13 de novembro e reuniu especialistas, representantes de governos, empresas e projetos sociais todo o mundo. O Congresso foi patrocinado pela União Europeia e co-patrocinado pela Alastria, associação espanhola de empresas que utilizam blockchain.   

A reportagem completa sobre a POC do Salva un Cavallo está em https://www.blockchaineconomia.es/salva-un-caballo-blockchain/.

Congresso global discutirá o uso da tecnologia blockchain

Começou hoje (11), e vai até a próxima quarta-feira (13) o Convergence – The Global Blockchain Congress, em Málaga (Espanha). O evento vai reunir representantes da comunidade blockchain do mundo todo, incluindo reguladores, decisores de políticas , fornecedores de tecnologia, usuários, ONGs e pesquisadores. Serão cerca de 1,3 mil participantes no que os organizadores esperam que se torne o maior evento global do segmento.

Regulação, padronização, moedas digitais de bancos centrais e uso de criptoativos em projetos sociais são alguns dos temas que serão discutidos.

O Congresso é patrocinado pela Comunidade Européia, que tem um órgão inteiramente dedicado ao assunto – o EU Blockchain Observatory and Forum -, pela Inatba (International Association for Trusted Blockchain Association) e Alastria, instituição espanhola que reúne a comunidade blockchain da Espanha.

Nesta segunda-feira, haverá um desafio entre equipes que terão de apresentar uma solução em blockchain. Cada equipe fará uma solução para um dos 17 Objetivos do Desenvolvimento da ONU. Elas terão 10 horas para isso. Serão equipes multidisciplinares.

Na quarta-feira, um dos painéis discutirá a digitalização e interoperabilidade nos países da América Latina. A diretora de conteúdo da Blocknews, Claudia Mancini, será a mediadora do debate.