Claudia Mancini
é jornalista e cientista política, especializada em negócios, blockchain e economia digital

Women in Cybersecurity cria capítulo no Nordeste e terá apoio do Porto Digital

Andréa, líder do Womcy Brasil, diz que novos capítulos podem surgir. Foto: Arquivo pessoal.

A Latam Women in Cybersecurity (Womcy), organização que trabalha para a educação, desenvolvimento e aumento do número de mulheres no segmento de segurança cibernética, lança amanhã (28) seu capítulo Nordeste. Criada em maio do ano passado por Leticial Gamill, da Cisco, o capítulo brasileiro acaba de completar um ano de atuação com um grande grupo de participantes – mulheres e homens – e de parcerias.

Na entrevista a seguir, Andréa Thomé, líder do capitulo Brasil, fala sobre a expansão do movimento no país e o novo papel que o capítulo São Paulo terá nesse processo.

BN: A Womcy começará a ter capítulos em todo o Brasil?

AT: À medida que identificarmos líderes preparados para gerir capítulos locais, vamos abrindo as células que nos permitirão chegar a públicos que precisam de nosso auxílio e que poderão usufruir de nossos benefícios.
Já temos um capítulo em Minas Gerais, liderado por universitárias da IFSULDEMINAS, e agora chegaremos ao Nordeste.

BN: Qual a importância dessa expansão?

AT: É alcançar toda e qualquer mulher que queira evoluir em sua carreira em cibersegurança, passar por transição para essa área ou iniciar no segmento, independente de sua localização geográfica.
Nossa missão de aumentar a participação de mulheres e de reduzir o gap de conhecimento entre gêneros em cibersegurança não se restringirá aos profissionais de São Paulo. Hoje já temos membros e voluntários registrados na Womcy de diversos estados do país, e por isso, sempre que entendermos que estiver a nosso alcance, unidades locais serão desenhadas e instaladas para melhor atender a todos.

BN: Quais as iniciativas que vocês esperam desenvolver no Nordeste?

AT: Vamos localizar e registrar voluntários e membros, definir o corpo de líderes para os programas (WOMCY, Talks, WOMCY Mentoring, WOMCY Talent, WOMCY Girls, WOMCY Geek, WOMCY Tech, WOMCY Jobs, WOMCY Give e WOMCY Back) e equipes (WOMCY Marketing, WOMCY Legal, WOMCY Alliance, WOMCY Membership, WOMCY Volunteering e WOMCY He for She) e desenhar o modelo de integração do capítulo Nordeste com o capítulo São Paulo, que passará a atuar como um incubadora de disseminação de conhecimento sobre ações e projetos para o time do Nordeste.

Na entrevista a seguir, Flávia Brito, líder do capítulo Nordeste, fala sobre a falta de mão-de-obra especializada em cibersegurança na região e o apoio do Porto Digital à iniciativa local da Womcy.

Flávia, líder no Nordeste, é CEO da BIDWEB, de soluções no setor Foto: BIDWEB.

BN: Como é o mercado de trabalho em cibersegurança no Nordeste?
FB: Existe uma falta de mão-de-obra muito grande na região e apoio para o desenvolvimento de novos profissionais. Comparado ao Sudeste, por exemplo, acredito que a escassez de especialidades em cibersegurança é maior ainda. Quando falamos de mulheres nesse mercado, a situação é parecida com o restante do Brasil, porque falta estímulo para que elas avancem seus estudos na área. Do ponto de vista de educação, o Nordeste precisa estimular mais a formação dessas meninas. O Porto Digital, em Recife, é uma ótima oportunidade para o empreendedorismo. Eu mesma comecei no Porto Digital há 18 anos e tive vários desafios, mas não desisti.

BN: Como a Womcy pode ajudar a melhorar esse quadro?
FB: A chegada do Capítulo WOMCY Nordeste será amparado com o apoio do Porto Digital e também já temos várias mulheres interessadas em desenvolver os programas da WOMCY na região. Acredito muito nessa comunidade de mulheres em cibersegurança, porque a prática do trabalho da WOMCY Brasil demonstra sua seriedade, amparando e contribuindo para o desenvolvimento das mulheres. Inicialmente, estamos criando no capítulo Nordeste um corpo de voluntariado alinhado com os programas da WOMCY Brasil.

BN: As empresas do Nordeste estão bem preparadas para combater os ataques cibernéticos? Como a Womcy pretende ajudar nessa conscientização?
FB: Em relação ao combate aos ciberataques aqui no Nordeste, acredito que, assim como em todo o Brasil, há diferenças entre grandes empresas, que já investem em segurança da informação, e as médias e pequenas, que precisam de esclarecimento e conscientização sobre como se proteger. Certamente, a WOMCY contribuirá com a conscientização, dado que seus programas contribuem em vários aspectos de proteção de dados, privacidade e segurança da informação, com as melhores práticas do mercado.

0 Comentários

Deixe um comentário

XHTML: Você pode usar estas tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>