Claudia Mancini
é jornalista e cientista política, especializada em negócios, blockchain e economia digital

BNDES lança financiamento para serviços tecnológicos 4.0; linha complementa Finame

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) lançou ontem (29) uma linha de financiamento de serviços tecnológicos 4.0, como blockchain, inteligência artificial (IA) e Internet das Coisas (IoT).

O limite por operação é R$ 5 milhões, com prazo de pagamento de até 120 meses e carência de três a 24 meses. O BNDES financia 100% do valor. Segundo o banco, os serviços incluem, por exemplo, manufatura enxuta e avançada, digitalização, IoT, desenvolvimento de produtos e processos, tecnologias industriais básicas, eficiência energética e redução de resíduos.

Bruno Laskowsky, diretor de participações, mercado de capitais e crédito Indireto do banco, disse que ” não dá para financiar pequena e média empresa se não se falar de capital humano e, portanto, serviços. Estamos financiando intangíveis, inteligência, capacidade de gerar contribuições para diversas áreas, como digitalização, temas relacionados a economia produtiva, capacidade de manuseio de dados, big data e IoT”.

Segundo ele, a linha BNDES Crédito e Serviços 4.0 complementa o financiamento de máquinas e equipamentos do banco. A instituição tem a linha Finame Máquinas 4.0 para compras de máquinas que utilizam internet 5G e IoT. Há 119 itens e 50 fabricantes cadastrados nessa linha Finame.

Também ontem, a Confederação Nacional da Indústria (CNI) lançou um estudo sobre o uso de tecnologias 4.0 no país. Detalhes estão na reportagem Falta de crédito e de sensibilidade das indústrias emperram uso de tecnologia 4.0

R$ 1,7 bilhão em projetos

Júlio Semeghini, ministro substituto da Ciência e Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), disse que o país tem o desafio de promover a tecnologia 4.0. A Finep, ligada ao ministério, lançou em junho passado um edital para desembolsar R$ 50 milhões para apoiar projetos de inovação com tecnologia 4.0.

De acordo com Semeghini, houve 1.590 projetos que no total solicitaram US$ 1,7 bilhão. ” Isso mostra que o Brasil está preparado para aproveitar a transformação digital, mas temos de disponibilizar acesso ao crédito para que os projetos se tornarem realidade.”

“Financiar desenvolvimento nos dias atuais não se resume a financiar ativos físicos. No S&P 500, 75% dos valor das empresas são ativos intangíveis. Itens financiáveis há 40, 50 anos, eram fixos. Hoje, na grande maioria, são intangíveis, disse o Secretário Especial de Produtividade, Emprego e Produtividade Competitividade do Ministério da Economia, Carlos Da Costa.

0 Comentários

Deixe um comentário

XHTML: Você pode usar estas tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>