Claudia Mancini
é jornalista e cientista política, especializada em negócios, blockchain e economia digital

SBP Prime rastreia carga e com leilão de frete evita crime no transporte

Parceria com Guep permite monitoramento total da produção.

A SBP Prime está fazendo o rastreamento de grãos da plantação até a entrega ao porto, com blockchain e IoT, com um sistema que inclui ainda um leilão de fretes que conecta produção e logística. O resultado é um acompanhamento de todo o trajeto da carga, checagem dos veículos que fazem o transporte, maior facilidade para emissão de notas e redução de risco de roubo ou adulteração dos grãos.

“Começamos na cadeia de grãos porque é o que tem mais receita e está entre as grandes culturas do país”, disse Eduardo Figueiro, fundador e CEO da empresa durante o 2º Meetup Live Blockmeet MT – Blockchain, IoT e Agronegócio, que aconteceu na terça-feira passada (17). Mas, diz ele, muitas empresas ainda não usam as tecnologias por desconhecimento.

Além disso, o próprio Mato Grosso não incentiva o uso de tecnologias criadas no estado. A empresa já tem projetos implantados e diz que continua provocando grandes cias mato-grossenses e grandes tradings. “Não combina produzir muito e não ter tecnologia de ponta”, completou.

Sua empresa, diz ele, vai do planejamento agrícola à classificação do produto na saída da porteira. Depois acompanha a parte logística, o que é possível com a parceria feita em 2019 com a Guep, de soluções digitais para transporte.

Leilão conecta produção e caminhão

“Tudo vira um QR code registrado em blockchain, com dados como o movimento logístico, qual semente está no caminhão – com dados de produção e do produto -, em qual caminhão está e quem é o motorista. Para isso, há uma combinação de blockchain e internet das coisas (IoT). Os dados vêm de aparelhos como drones e câmeras.

Todo os sistema inclui um leilão reverso de fretes criado na plataforma. “O dono da carga escolhe quem vai transportar. Isso democratizou o frete com inteligência de dados, além de rastrear o transporte, motorista, veículo, com um machine learning que verifica mais de 400 bases de dados de transporte em 15 minutos”, explicou Figueiredo.

Ao abrir a ordem de serviço, o sistema já abre a certificação de grão, com a ida à fazenda para coleta de amostras. O motorista, uma vez escolhido no leilão, recebe informação online sobre onde vai coletar a carga e seu acesso à propriedade é verificado. Dados como nome, número da carteira de habilitação, foto e placa do veículo são verificados com os dados do Denatran por meio de uma câmera na porta de entrada. Nesse momento é que começa a fusão de trabalho com a Guep.

Um outro problema que o sistema resolve é o da emissão da nota fiscal na retirada da carga. Como isso nem sempre é possível, muita carga roda sem nota e é trocada por outra de pior qualidade. Para evitar fraudes, há troca de informações com a Secretaria da Fazenda. “Isso tudo permite que a carga siga viagem com documento fiscal e rastreabilidade até o porto”, afirmou Figueiredo.

3 Comentários

  1. Foi um enorme sucesso este meetup organizado pela iniciativa do BlockmeetMT juntamente com os demais parceiros convidados e sobretudo os apoiadores !!

    Claudia parabéns pela elaboração da matéria e a percepção de transcrever algo mais realista de cenários práticos da inovação e tecnologia !!

Deixe um comentário

XHTML: Você pode usar estas tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>