Claudia Mancini
é jornalista e cientista política, especializada em negócios, blockchain e economia digital

Transações de criptos no Brasil cresceram 1,8% no primeiro trimestre

XRP, moeda da Ripple, ultrapassou a Bitcoin neste ano.

O total de criptomoedas movimentadas no Brasil somou R$ 26,62 bilhões no primeiro trimestre de 2020, um aumento de 1,8% sobre o último trimestre de 2019, segundo a Receita Federal.

A Receita Federal classifica as movimentações em três categorias: de pessoas físicas e jurídicas com uso de exchanges, sem uso de bolsas e as transações das exchanges. que atuam no mercado de criptomoedas brasileiro.

Também avisa que o relatório considera as movimentações informadas ao órgão e que pode haver erros. “Esses erros são frequentes, significativos e não são passíveis de identificação e exclusão do conjunto dos dados ora divulgados”, diz a Receita.

A declaração de transações à Receita é obrigatória desde o ano .

As categorias com mais transações no trimestre variaram a cada mês. Em janeiro foram as operações de bolsas (R$ 3,42 bilhões). Em fevereiro e março foram as de pessoas físicas e empresas com uso de bolsas (R 6,16 bilhões e R$ 5,25 bilhões, respectivamente).

A moeda XRP, da Ripple, foi mais comercializada do que a Bitcoin, com os valores registrados de R$12,2 bilhões, antes os da cripto de Satoshi Nakamoto, que atingiu R$10,2 bilhões.

As principais moedas começaram o ano em alta, no início da pandemia tiveram perdas e voltaram a se recuperar, diz Safiri Felix, diretor-executivo da Associação Brasileira de Criptoeconomia (ABCripto).

O relatório mostra que as mulheres são uma fatia pequena no total de movimentos com criptomoedas.

0 Comentários

Deixe um comentário

XHTML: Você pode usar estas tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>