Claudia Mancini
é jornalista e cientista política, especializada em negócios, blockchain e economia digital

Rússia começará teste de rublo digital em 2022 com instituições financeiras

Banco central quer controlar acesso a rublo digital. Foto: Jacqueline Macou, Pixabay.

O Banco da Rússia prevê começar os testes do rublo digital, sua moeda digital de banco central (CBDC), no primeiro trimestre de 2022. A instituição vai ser tanto a emissora, quanto a operadora da plataforma da moeda.

Em outubro passado, o banco anunciou uma consulta pública sobre a moeda digital de banco central. Na semana passada, divulgou o resultado da pesquisa e o conceito da moeda, que será distribuída pelos bancos aos usuários.

Além disso, o modelo prevê um significativo controle do rublo digital pelo banco central. Por exemplo, a banco quer ter o poder de barrar o acesso à moeda por empresas, instituições e pessoas. Para isso, conta que haverá leis que garantirão esse poder.

A previsão é de que em janeiro de 2022 serão propostas novas leis relacionadas ao rublo digital, assim como esse ponto. No entanto, esse poder de barrar acesso a dinheiro é completamente contrária à do dinheiro atual.

O projeto do rublo digital prevê que as instituições financeiras participarão dos testes em 2022. Em primeiro lugar, o teste inclui instituições de crédito e do Tesouro Federal. E mais: incluirá operações C2C (entre consumidores), B2B (entre empresas), C2B, B2C, G2B (entre governo e empresas), B2G, C2G e G2C.

Rublo digital já

Na segunda fase, haverá a conexão dos intermediários financeiros, introduzindo um regime offline. Isso vai, então, garantir a troca do rublo digital por moeda estrangeira e a possibilidade de abertura de carteiras a clientes não residentes no país.

A consulta pública contou as respostas de 196 pessoas. São representantes de associações de classe, como a de comércio e de consumidores, assim como especialistas em sistemas de pagamentos. Desses, 75% disseram que são a favor de um rublo digital agora.

E 88% é a favor de um sistema offline. “Para realizar transações offline, além da carteira online, uma segunda carteira será aberta para o cliente em rublos digitais no dispositivo móvel do cliente”, completa o BC russo.

O Banco da Rússia disse que trabalha com um modelo de duas camadas para distribuição do rublo digital, ou seja, com a instituição como emissora e operadora da plataforma da moeda. As instituições financeiras abrirão as carteiras eletrônicas para os clientes e farão as operações nas carteiras na plataforma.

O conceito prevê, ainda, uma arquitetura híbrida. Haverá componentes de um sistema centralizado e de livros distribuídos (DLT). O módulo de software garantirá a interação da plataforma do rublo digital com o cliente. Assim, o cliente terá de confirmar as transações.

Brasil prevê real digital em 2022

Os centros de certificação do Banco da Rússia incluem o centro de certificação de emissões, para registro e certificação das chaves do Banco da Rússia para para o rublo digital. O outro é o centro de certificação para registro e certificação de chaves de instituições financeiras, para realização de pagamentos.

Os bancos centrais pelo mundo estão estudando ou testando moedas digitais. O Brasil, por exemplo, está para anunciar os resultados de seus estudos e prevê o real digital em 2022. Isso é uma resposta às criptomoedas e às moedas corporativas, com o que o Facebook anunciou há dois anos, a Diem.

Dentre os benefícios de uma CBDC está a redução de custos com impressão e distribuição de dinheiro. Há, ainda, a de mais velocidade nos pagamentos. Espera-se, também, maior inclusão digital de pessoas de menor poder aquisitivo. Além disso, prevê-se a criação de novos produtos e serviços.

Mas, há também muitas dúvidas relacionadas a pontos como segurança cibernética e estabilidade do sistema financeiro.

0 Comentários

Deixe um comentário

XHTML: Você pode usar estas tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>