Claudia Mancini
é jornalista e cientista política, especializada em negócios, blockchain e economia digital

Presidente de El Salvador quer adotar bitcoin, mas explica pouco o projeto e gera dúvidas

Banco Mundial diz que falta transparência em projeto de bitcoin. Imagem: Pixabay

O presidente de El Salvador, Nayib Bukele (Novas Ideias), anunciou neste sábado (5) que neste semana enviará um projeto de lei para o Congresso propondo bitcoin como moeda legal no país. No entanto, não explicou vários pontos. Um deles é por que adotar uma moeda tão volátil se desde 2001 a oficial atual é o dólar dos Estados Unidos (EUA).

Outros pontos são, por exemplo, se em El Salvador bitcoin terá uso apenas no varejo, se bancos poderão fazer transações com a moeda e se o governo aceitará pagar e receber em bitcoins.

O anúncio do projeto aconteceu por vídeo e post no Twitter, portanto, com poucas palavras e pouca transparência. Se o congresso, onde Bukele tem maioria, aprovar o projeto, El Salvador terá duas moedas legais que não emite. Isso significa duas moedas que não dão ao país a capacidade de fazer política monetária e cambial.

El Salvador adotou o dólar como moeda num cenário de alta inflação, moeda e economia fracas. Na época, outros países, como Argentina e Equador fizeram o mesmo. Mas, desde então nunca conseguiu um crescimento econômico expressivo, além de ficar à mercê da política cambial e de juros dos EUA.

Bitcoin já é uma moeda usada em El Salvador, mas não é uma moeda legal. Da população de 6,5 milhões de habitantes, só 30% tem conta bancária e trabalho formal, ou seja, sem acesso a serviços como crédito. Dinheiro físico é que os salvadorenhos usam em larga escala.

El Salvador com bitcoin verá geração de empregos, diz Bukele

Admiradores do bitcoin e das transações peer to peer (P2P) aplaudiram o anúncio do presidente, que antes de entrar para a política trabalhava com marketing. Porém, a dúvida paira sobre como será a implementação disso e, portanto, qual seu impacto na vida financeira dos cidadãos e das empresas.

“No curto prazo, haverá geração de empregos e inclusão de milhares que estão fora da economia forma”, afirmou. Seu cálculo, sem maiores explicações, é o seguinte: “Bitcoin tem valor de mercado de US$ 680 bilhões. Se 1% disso for investido em El Salvador, isso elevaria nosso PIB em 25%.”.

Além de dizer que “bitcoin teria 10 milhões de potenciais novos usuários e registraria a forma mais rápida de crescimento para transferência de dinheiro para o país”. Somando a população de 6,5 milhões em El Salvador, a menor da América Central, e cidadãos fora do país, o número é de cerca de 8,5 milhões de pessoas.

El Salvador recebe ao ano cerca de US$ 6 bilhões ao ano em remessas de dinheiro de quem vive fora do país. Isso responde por cerca de 20% de seu PIB. De acordo com Bukele, boa parte desse valor fica com intermediários.

De fato, remessas internacionais custam caro e criptomoedas estão ganhando espaço nesse segmento. As para El Salvador têm taxas acima de 10%, segundo o presidente. Ao adotarem bitcoin, disse ele, a quantia que mais de um milhão de famílias de baixa renda recebem vai “aumentar o equivalente a bilhões de dólares ao ano”.

Economistas questionam motivos de Bukele e ganhos para o país

A economista Tatiana Marroquín disse ao ElSalvador.com que não há clareza no anúncio do presidente. Isso porque há quem use a moeda no país e isso não é ilegal. O também economista Claudio de Rosa afirmou ao veículo que bitcoin já é uma criptomoeda usada no mundo. E que ainda estuda-se sua ligação com lavagem de dinheiro.

Há ainda uma outra questão prática no uso de bitcoin, que é o conhecimento sobre a moeda. Não apenas saber como acessá-la, mas também seus benefícios e riscos. Se a ideia é que entre em uso amplo em El Salvador, os cidadãos precisam ter essas informações.

O anúncio de Bukele acontece pouco depois de um desgaste internacional que custou a queda do valor dos títulos do país, além de perda de fundos da agência de desenvolvimento dos EUA. O problema foi que o partido de Bukele, o Novas Ideias, usou sua super maioria no congresso para demitir cinco juízes e o procurador-geral.

Isso levantou ainda mais dúvidas sobre uma intenção de Bukele de ser um presidente “manda e desmanda” a seu bel-prazer. Bukele foi prefeito de El Salvador e se tornou presidente em 2019 aos 37 anos e sem apoio dos grandes partidos, algo inédito em 30 anos. Se elegeu com discurso anti-corrupção, tem 85% de aprovação e usa muito as redes sociais para se comunicar.

Bukele usa “olhos de laser” para sinalizar investimento em bitcoin

Bukele já usa “olhos de laser” em seu perfil no Twitter. São os olhos “vermelhos brilhantes” que sinalizam investimento na criptomoeda. E recebendo elogios e questionamentos de pessoas que dizem que não entendem de bitcoin, como isso muda a vida delas e por que adotar uma moeda tão volátil.

A Strike, de pagamentos móveis, está dando informações de mercado para ajudar El Salvador a construir uma infraestrutura para usar bitcoin, disse seu CEO, Jack Mallers.

A Strike lançou em março seu aplicativo de pagamentos móveis em El Salvador e diz que já é líder do segmento no país. A empresa tem a maior carteira digital na rede Lightning Bitcoin. O Lightining Bitcoin custa U$1,98 cerca de (R$ 14) e seu valor de mercado é de US$ 7,6 milhões.

0 Comentários

Deixe um comentário

XHTML: Você pode usar estas tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>