Claudia Mancini
é jornalista e cientista política, especializada em negócios, blockchain e economia digital

Ceará usará blockchain em medição de obras públicas; contrato é com estatal

Contrato com Etice é de R$ 1,228 milhão. Foto: Erich Westendarp, Pixabay.

O Ceará vai usar blockchain nos processos de medições de obras públicas. Para isso, a Superintendência de Obras Públicas (SOP) contratou a estatal de tecnologia da informação do estado, a Etice.

A contratação é de R$ 1,228 milhão, sem licitação. A justificativa da superintendência é de que “a contratação é fundamental para a melhoria na gestão e no desempenho da área de tecnologia da informação, bem como redução de custos”.

A uso deve começar gradativamente no início de 2021 em todos os negócios e situações, divulgou a pasta no último dia 27 de outubro. O uso será principalmente nas medições, integrando bases de dados das plataformas dos dois sistemas de gerenciamento de obras utilizados atualmente, segundo o governo do Paraná*.

O diretor de Planejamento e Gestão da SOP, Arnoudo Alves, tudo passa a acontecer virtualmente, todos os passos da medição “serão validados pela empresa, supervisora, fiscal etc.”.

Segundo a SOP, blockchain está dentro do Programa Ceará Digital, que prevê implantar, nos próximos quatro anos, um governo 100% digital.

As informações sobre uso de blockchain foram inicialmente divulgadas no Diário Oficial do Ceará (Doece).

*Reportagem atualizada em 2 de novembro de 2020.

Assim como o estado do Paraná, o Ceará mostra interesse em blockchain e usa empresa estatal para isso.

Mais sobre o projeto do Paraná em:

Sistema de compras do PR alerta sobre fraudes; Celepar fez parceria com IBM

Paraná deve evitar solução proprietária e ter consórcio de governança, diz BRI Brasil

0 Comentários

Deixe um comentário

XHTML: Você pode usar estas tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>