Claudia Mancini
é jornalista e cientista política, especializada em negócios, blockchain e economia digital

Banco da Suíça avança em teste de moeda digital de banco central com Citi, Goldman Sachs e UBS

Teste de CBDC incluiu serviços bancários e política monetária.

O Banco Nacional da Suíça e outros 5 bancos comerciais – Citi, Credit
Suisse, Goldman Sachs, Hypothekarbank Lenzburg e UBS – integraram uma moeda digital de banco central (CBDC) de atacado em seus sistemas de backoffice e de processos. Os testes cobriram transações em francos suíços interbancárias, de política monetária e internacionais. Integrar uma CBDC de atacado aos sistemas bancários principais é complexo, mas é um pré-requisito para a emissão, disse o BC suíço.

A CBDC de atacado é só para uso por bancos comerciais e câmaras de compensação. Mas, as de varejo são para o consumidor final.

Essa é a fase 2 do Projeto Helvetia e aconteceu no último trimestre de 2021. E, de acordo com o banco, “demonstra que essa integração é operacionalmente possível. Emitir uma CBDC de atacado numa tecnologia de registro distribuído (DLT) operada e de propriedade de uma empresa privada é possível sob a lei da Suíça”.

Os testes são uma iniciativa que inclui, assim como BC da Suíça, o Banco Internacional de Compensações (BIS), o BC dos BCs, e da SIX, principal fornecedora de infraestrutura financeira do país. O projeto, afirma a instituição, “olha para um future no qual os ativos financeiros serão tokenizados e as infraestruturas rodarão em DLT”. E a afirmou ainda que “embora nenhuma das plataformas DLT sejam sistêmicas ainda, poderão se tornar no futuro”.

Moeda digital de banco central na mira da Visa também

Já do outro lado do Atlântico, a Visa e a ConsenSys, que desenvolve soluções na rede blockchain Ethereum, estão trabalhando numa infraestrutura para conectar redes de CBDCs e instituições financeiras tradicionais. Portanto, tem foco em bancos centrais e as instituições financeiras para oferecerem serviços simples e amigáveis nas redes das CBDCs, disseram as empresas.

O real digital que o Banco Central estuda é uma das CBDCs que estão desenvolvimento no mundo. O BC, inclusive, informou que está conversando com empresas, inclusive com a Visa, para conhecer soluções nessa área. O real digital está prestes a entrar em teste.

De acordo com Catherine Gu, líder da Visa para CBDC, o Módulo de Pagamentos de CBDC da empresa bancos e processadores de emissores poderão se conectar no módulo e integrar suas infraestruturas. Assim, poderão realizar operações como emitirem cartões de pagamentos ligados a CBDCs ou credenciais de carteiras. “Estamos no processo de integrar nosso módulo com a ConsenSys Codefi CBDC sandbox”. Essa, por sua vez, usa a plataforma Quorum da ConsenSys, que já foi do JP Morgan.

No segundo trimestre, as empresas esperam entrar na fase de piloto e protótipo de casos reais de uso. E aí estarão prontas para trabalharem com os bancos centrais, instituições financeiras e fintechs, disse Catherine. A solução da Visa e Consensys está entre as três vencedoras do Desafio Global CBDC do Singapore Fintech Fest.

0 Comentários

Deixe um comentário

XHTML: Você pode usar estas tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>