Mercado de Criptomoedas por TradingView

Banco Central não vê problemas em bancos oferecerem criptomoedas

Fabio Araújo, coordenador do projeto do real digital do BC. Foto: BC.

O coordenador do projeto de real digital no Banco Central, Fabio Araújo, afirmou que não vê problema no fato de bancos tradicionais oferecerem criptomoedas porque são regulados e seguros. E disse ainda que a oferta desses produtos não é algo simples, porque as instituições deverão fazer o suitability, ou seja, ofertá-los para quem tem perfil de ter moedas digitais em seu portfolio. E nesse caso, são ofertas de algo muito volátil, inovador e desconhecido de boa parte dos clientes.

Itaú lançou uma unidade de criptoativos e afirmou que estuda oferecer também criptomoedas como bitcoin. O Santander deve lançar sua plataforma de criptos até outubro. A expectativa do Banco Central e do mercado é que com uma regulação no país, os bancos entrem com força em criptomoedas.

O Banco Central está participando de forma ativa da discussão do projeto de lei que regulará empresas que oferecem criptos. Além disso, deverá ser o regulador do setor e também prepara outros projetos de lei sobre o assunto. Isso porque o que está no Congresso é bastante genérico e lida com um segmento do ecossistema.

O BC estuda há anos a tecnologia blockchain e as criptomoedas. E também um dos bancos com um dos projetos mais interessantes de moeda digital de banco central (CBDC). O real digital está em testes e novos pilotos podem acontecer a partir de 2023 e o lançamento em 2024. O foco é o real digital ser a base da entrada das finanças descentralizadas (DeFi) no sistema financeiro. Dessa forma, vai permitir novos tipos de operações e serviços.

Araújo participou de um evento da Saint Paul Escola de Negócios e do Mercado Pago.

Compartilhe agora

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.