Mercado de Criptomoedas por TradingView

Vórtx compra 51% do Basement; as duas empresas estão no sandbox da CVM

Vórtx, fintech de infraestrutura para o mercado de capitais, continua seu processo de expansão depois do aporte Série B de R$ 190 milhões que recebeu em 2021, e adquiriu 51% do Basement, plataforma de gestão de participações societárias. As duas estão no sandbox da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e pode haver uma integração de seus projetos com uso de blockchain. As empresas não revelaram o valor da compra.

Mas, informaram que uma parte do investimento foi na compra da participação dos 300 investidores que compraram ações do Basement por meio de crowdfunding. Além disso, Basement mantém sua marca, os fundadores continuam no negócio e equipe trabalhará de forma independente, segundo Juliano Cornacchia, cofundador e CEO da Vortx.

O Basement faz parte da Kria, primeira plataforma de equity crowdfunding do Brasil, criada em 2014. No sandbox, enquanto a Vórtx criou com a QR Capital a Vórtx QR Tokenizadora, de tokenização de valores mobiliários, a Basement terá autorização para escriturar valores mobiliários para sociedades limitadas que tenham feito ou estejam no processo de realizar ofertas públicas.

Ao fazerem parte do sandbox da CVM, “os clientes poderão, no médio prazo, se conectar via blockchain com centenas de fundos administrados pela Vórtx”, disse Frederico Rizzo, CEO e cofundador do Basement. E afirmou que será possível destravar liquidez para empresas que tenham pessoas em seus programas de incentivos de longo prazo (ILPs), como os de opções de ações (ILP), que é a área em que o Basement.

De acordo com Cornacchia, as duas empresas “compartilham da mesma visão, de descomplicar o mercado de capitais. Basement entra para o ecossistema da Vórtx de forma muito complementar às nossas soluções”. Para Frederico Rizzo, CEO e cofundador do Basement., “foi principalmente a convicção compartilhada de que haverá um mercado mais líquido e eficiente para empresas não listadas que despertou nosso interesse em somar forças com a Vórtx”.

Depois que recebeu o aporte do fundo de private equity norte-americano FTV Capital, a Vórtx também comprou, em 2021, a Simplific Pavarini, um dos mais tradicionais agentes fiduciários do Brasil, com cerca de R$ 200 bilhões em custódia de dívida corporativa, Além disso, fez um aporte na Investtools, que desenvolve tecnologia para gestores de investimento, na Parfin, plataforma de infraestrutura para investimento em criptoativos e na Preparo, startup de contratações e recrutamentos. Antes disso, em 2019, a Vórtx já havia adquirido o controle da Vosasys BCInf

“A compra é estratégica e reforça o braço de serviços financeiros da Vórtx, trazendo pessoas e sistemas para áreas como escrituração de todos os tipos de ativos, vinculados a operações da Vórtx ou não, conta escrow e com o produto de ILPs do Basement”, afirmou Cornacchia.

O Basement surgiu depois que os sócios perceberam como era difícil para as startups da plataforma de equity crowdfunding gerenciarem as participações dos sócios, quando eram muitos. Isso porque há mudanças quando há, por exemplo, novas captações. Agora, espera crescer com a injeção de capital e a integração ao ecossistema da Vórtx.

O que também beneficia a startup é a mudança regulatória recente para as Sociedades Anônimas brasileiras, que obriga os livros societários serem digitais. Assim, a lei criou um mercado de mais de R$ 1 bilhão em escrituração de companhias fechadas e o Basement criar um produto focado na gestão digital dos livros societários, registro de atas de conselho e controle de mandatos.

Compartilhe agora

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.