Visa compra brasileira Pismo por US$ 1 bilhão

Pismo é primeiro unicórnio de 2023.

Na disputa com a Mastercard, a Visa levou a melhor. A bandeira norte-americana anunciou hoje (28) a compra, por US$ 1 bilhão em dinheiro, da techfin brasileira Pismo. A startup faz processamento de serviços bancários, emissão de cartões e infraestrutura de mercado financeiro. Esse é o primeiro unicórnio brasileiro de 2023.

Num comunicado, a Visa informou que com a aquisição, estará posicionada para oferecer aos clientes soluções de processamento bancário e de emissão para cartões de débito, pré-pago, crédito e empresariais por meio de APIs nativas em nuvem. Além disso, poderá oferecer suporte e conectividade para trilhas de pagamentos emergentes, como o Pix no Brasil, para instituições financeiras clientes. como publicou o Finsiders, site parceiro de conteúdo do Blocknews.

“Por meio da aquisição da Pismo, a Visa pode servir melhor nossos clientes instituições financeiras e fintechs com soluções bancárias e de emissão diferenciadas que eles podem oferecer aos seus clientes finais”, afirmou Jack Forestell, líder global de produtos e estratégia da Visa, no comunicado.

Também no texto, o cofundador e CEO da Pismo, Ricardo Josua, diz que a Visa fornece “apoio incomparável” para a techfin expandir sua presença globalmente. Hoje, a empresa tem operações na América Latina, Ásia Pacífico e Europa, assim como ajuda a moldar uma nova era de pagamentos e serviços bancários.

Pelo acordo anunciado hoje, a Pismo irá manter seu atual time de gestão. A transação está sujeita a aprovações regulatórias e tem previsão de ser concluída ao final deste ano. A startup foi fundada em 2016 por ex-executivos da Conductor, hoje Dock – Daniela Binatti, Juliana Binatii, Marcelo Parisi, além de Josua. Foi investida pela Visa, em 2018 hoje movimenta US$ 208 bilhões em transações ao ano, de acordo com seu site.

No mercado brasileiro, a carteira de clientes da empresa inclui grandes players do setor financeiro, como Itaú Unibanco e BTG+ (do BTG Pactual), o neobank alemão N26 e também uma de suas investidoras, a B3. Recentemente, o Citi divulgou que adotou a plataforma da techfin para seus clientes corporativos no mundo todo. Entre seus investidores estão Amazon, Softbank e a B3.

*Conteúdo publicado originalmente no Finsiders, site parceiro de conteúdo do Blocknews.

Compartilhe agora

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *