Sequoia corta fundo de criptos de US$ 585 milhões para US$ 200 milhões

Sequoia teve forte impacto de quebra da FTX.

A gigante do venture capital Sequoia Capital, que já investiu em empresas como a Block, do fundador do Twitter, Jack Dorsey, Fireblocks, EDX Markets, Nubank e Instagram, está “tirando o cavalinho da chuva” do mercado de criptoativos. O venture capital reduziu em mais da metade seu fundo focado no segmento, de US$ 585 milhões para cerca de US$ 200 milhões.

Vale lembrar que a Sequoia tomou um considerável tombo com seus investimentos em criptoativos. O fundo foi um dos mais expostos ao colapso da FTX. A informação sobre o corte foi publicada pelo jornal The Wall Street Journal junto a fontes de mercado.

Além disso, o jornal norte-americano também descobriu que a Sequoia cortou pela metade seu fundo de ecossistema, de apoio a fundos menores e investidores solo. O corte foi de 50%, de US$ 900 milhões para US$ 450 milhões, como publicou o Startups, parceiro de conteúdo do Blocknews.

De acordo com as fontes ouvidas pelo jornal, a mudança brusca na estratégia da Sequoia vem no rastro de crescentes desvalorizações de companhias privadas de tecnologia. Um outro fator é a corrida de investidores por liquidez, que estão tirando seu dinheiro do capital de risco.

Sequoia diz que está otimizando foco em “early stage”

“Fizemos esta mudança para otimizar nosso foco em oportunidades em estágio inicial (early stage) e para entregar liquidez aos nossos sócios”, divulgou a Sequoia em nota. O fundo afirmou que deu um retorno de cerca de US$ 15 bilhões aos seus investidores nos últimos três anos.

Tem sido um ano movimentado para a Sequoia Capital. Recentemente a companhia anunciou a separação de operações de seus fundos na China, Índia e Sudeste Asiático. E os relançou como as empresas HongShan e Peak CV Partners. A liderança da empresa colocou a decisão na conta do cenário geopolítico. Isso porque afirmou que estava cada vez mais difícil para investidores norte-americanos investir na China e vice versa.

Além disso, na semana passada um de seus principais nomes, o investidor Michael Moritz, afirmou que estava de saída da gestora. Moritz ficou 38 anos representando a companhia.

Compartilhe agora

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *