Claudia Mancini
é jornalista e cientista política, especializada em negócios, blockchain e economia digital

Nubank tem escritórios em Berlim e Buenos Aires para achar talentos

Nubank cresce no cross-selling, diz Cristina Junqueira, CEO e co-fundadora do banco.

Para tentar resolver o problema de escassez de talentos, em especial em tecnologia, o Nubank têm escritórios pelo mundo. Por isso, não apenas comprou uma empresa nos Estados Unidos (EUA) há um ano, mas tem base em cidades como Berlim e Buenos Aires, onde ainda não atua.

Foi o que disse Cristina Junqueira, co-fundadora e CEO do banco digital, no podcast Fortune Brainstorm. O episódio de que participou, o “More people moving their financial lives online” (Mais pessoas operando online suas vidas financeiras), foi ao ar no último dia 10 de junho.

“Neste ano, contratamos 1 mil pessoas. Contrataríamos tantos engenheiros de software quanto possível”, disse ela. Para suprir sua demanda, uma das iniciativas foi ter escritórios onde a empresa não atua ainda.

A base da capital da Alemanha, de acordo com Cristina, “nos dá acesso ao mercado de telemarketing europeu”. Apesar de ter escritório em Buenos Aires, o banco ainda não atua naquele mercado. Mas já atua no México, onde tem cerca de 300 mil clientes, e na Colômbia.

Aliás, tem a ver com as atuações na América Latina a entrada da cantora Anitta no conselho de administração do banco. O anúncio aconteceu nesta segunda-feira (21).

Dessa forma, o Nubank também tenta responder a uma falha que indicou no ano passado. Num programa Roda Viva, Cristina afirmou que não dá para “nivelar por baixo”. Foi uma resposta a uma pergunta sobre política afirmativa para negros na fintech. Desde então, a fintech tem tomado medidas que tentam demonstrar esforço de inclusão.

Há um outro ponto importante no caso de Anitta: o Nubank continuará buscando crescer entre os desbancarizados, em grande quantidade nas classes D e E. A cantora, por sua vez, se posiciona com certa frequência sobre questões de desigualdade e dificuldades de quem vem das periferias.

Nubank vai crescer em seguros

Em julho de 2020, o maior banco digital da América Latina comprou a Cognitect, que fica na Carolina do Norte. A empresa já prestava serviços para o Nubank e tinha na época 20 funcionários. Foi uma forma de agregar talentos.

A questão é que com oito anos de operação, o Nubank diz ter cerca de 40 milhões de clientes e crescimento contínuo. Começou com um cartão de crédito gratuito e hoje já tem outros produtos que esses clientes também compraram.

É nesse cross-selling que o negócio também vai crescer, diz a CEO. O que acontece, afirma, é que o cliente do cartão compra, por exemplo, um seguro. Aliás, esse segmento de seguro, que tem um produto, vai ter mais produtos, disse ela.

No início do mês, o banco anunciou que recebeu US$ 500 milhões de investimentos da Berkshire Hathaway, empresa do mega investidor Warren Buffett. Com isso, passou a ser a sétima startup mais valiosa do mundo, valendo US$ 30 bilhões (cerca de R$ 120 bilhões). É mais do que vale a XP.

0 Comentários

Deixe um comentário

XHTML: Você pode usar estas tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>