Claudia Mancini
é jornalista e cientista política, especializada em negócios, blockchain e economia digital

JP Morgan testou pagamentos com blockchain e IoT no espaço. Deu certo

JP Morgan usa satélite para testar blockchain e IoT. Foto: PIRO4D, Pixabay

O JP Morgan Chase testou, recentemente, pagamentos com blockchain entre satélites em órbita na terra. A informação foi dada por Umar Farooq CEO da Onyx, braço de blockchain do banco, à agência de notícias Reuters. A operação foi bem-sucedida e indicou novos caminhos para pagamentos.

Os testes mostraram que as redes blockchain permitem transações entre aparelhos usados no dia a dia. Além disso, pode-se criar um marketplace em que satélites trocam dados em troca de pagamentos, disse Tyrone Lobban, líder de blockhchain da Onyx.

“A ideia foi explorar pagamentos com IoT de forma totalmente descentralizada. Nenhum lugar é mais descentralizado e separado da terra do que o espaço”, afirmou Farooq. “Somos nerd e foi muito mais legal testar IoT desse jeito”.

A transação do JP Morgan com blockchain no espaço. Mas só de ser mais uma, já chamada ainda mais a atenção. Em junho passado, a SpaceChain, empresa de criptos do Reino Unido, fez a primeira transação extraterrestre com bitcoin. A operação foi de 0,0099 BTC.

A SpaceChain quer construir a primeira rede de satélites de código aberto baseada em blockchain. Assim, quer viabilizar transações financeiras no espaço. Para isso, usou a Estação Espacial Internacional (ISS) e a SpaceX Falcon 9 levou seus equipamentos até lá.

JP Morgan quer usar IoT

De acordo com Farooq, os bancos querem usar a internet das coisas (IoT) para processar pagamentos, quando isso acontecer de forma autônoma. Para fazer esse experimento, o JP usou satélites da empresa dinamarquesa GOMspace. Assim, pode rodar seu próprio software no satélite.

Praticamente toda semana o JP Morgan tem uma novidade relacionada a blockchain. Há alguns dias, o Coindesk afirmou que dados da Bloomberg mostram que uma outra operação do banco.

Assim como o Goldman Sachs e o UBS, o JP investiu no produto negociado em bolsa (ETP) da 21Shares. Esse ETP está exposto à criptomoeda Polkadot (DOT). A DOT é a quinta cripto com maior valor de mercado, US$ 31,16 bilhões. Seu preço estava em US$ 34,46 às 11h50 de hoje.

Mas não é só isso. O JP Morgan criou uma rede usada por mais de 400 bancos de todo o mundo para troca de mensagens relacionadas a pagamentos internacionais. É a Liink, que antes se chamava Interbank Information Network (IIN).

E para isso, criou a blockckchain Quorum, que hoje é da Consensys. Também investiu na Consensys. O banco tem, ainda, sua própria stablecoin, a JP Coin, que está usando em testes para operações financeiras.

0 Comentários

Deixe um comentário

XHTML: Você pode usar estas tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>