Claudia Mancini
é jornalista e cientista política, especializada em negócios, blockchain e economia digital

Fuse Capital lança token em um mês e usa blockchain para registrar investimentos

Token da fuse terá registro jurídico nas Ilhas Caymann. Foto: Pixabay.

O venture capital Fuse Capital deverá lançar em cerca de um mês seu token de investimentos. Com isso, o Fuse representará cotas de um fundo de investimentos em startups. “A estrutura tokenizada nas Ilhas Cayman está pronta e estamos nos passos finais com a Securitize, a custodiante”, disse a empresa ao Blocknews. A previsão inicial de lançamento era julho.

A ideia é da Fuse é colocar no mercado e de forma privada R$ 20 milhões em tokens para 20 investidores, mas no exterior, em especial da Europa e Ásia. Depois disso, quer atingir investidores institucionais. A operação no exterior se deve à limitação que a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) coloca no Brasil para os security token.

Além de criar o token, a Fuse também está usando blockchain para o registro dos seus processos de investimentos em startups. Dessa forma, pretende dar aos investidores capacidade para visualizarem e auditarem as informações. Assim, poderá resolver um problema que investidores que colocaram recursos em fundos de venture capital costumam reclamar, que é falta de maior transparência.

De acordo com João Zecchin, co-fundador da Fuse, “ao adotar esse modelo e deixarmos claras as razões pelas quais optamos por um caminho e não outro, naturalmente engajamos o investidor. Isso o traz para a discussão de nossas teses”.

Fuse usa blockchain para token e acesso a informações

Os registros em blockchain do processo de seleção e investimento numa startup vão da escolha das empresas para avaliação à diligência prévia. Mas inclui outras informações, como o voto de cada gestor sobre um aporte.

A empresa está usando a blockchain pública Algorand. Quem acessa as chaves privadas são o comitê de investimento e os investidores. Há uma democratização da informação, já que essas informações ficavam no banco de dados da gestora.

De acordo com a Fuse, que tem em seu portfolio startups como a Hashdex, de investimentos em criptoativos, blockchain agiliza os processos por garantir segurança e transparência na hora da compra e venda das cotas do fundo.

“Por estar registrado no blockchain da Algorand, não há necessidade alta de burocracias e intermediários na hora de qualquer transação. Também, por usar stablecoins como USDT e USDC, a transferência de capital é feita instantaneamente.”

1 Comentários

Deixe um comentário

XHTML: Você pode usar estas tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>