Claudia Mancini
é jornalista e cientista política, especializada em negócios, blockchain e economia digital

ETF de criptomoedas da Hashdex fechou primeiro dia na B3 com alta de 12,26%

Gary Gensler fez as declarações sobre bolsas de criptomoedas em audiência no Congresso.

O ETF de criptomoedas da Hashdax, o HASH11, fechou seu primeiro dia de negociação na B3, nesta segunda-feira (26), com alta de 12,26% e movimento de R$ 156 milhões. A cota começou negociada a R$ 47,20, chegou a um pico de R$ 56,70 e fechou em R$ 53,10.

O Hash11 levantou R$ 615 milhões para o lançamento. Hoje, foi o segundo maior ETF em número de trades e o terceiro maior em volume de negociação. A partir das cerca de 13h30, a cotação começou a subir, bateu no pico e depois recuou. Ao ser relacionado às cotações de seis criptomoedas, em especial do bitcoin, o desempenho foi similar ao da moeda de Satoshi Nakamoto.

O ETF de criptomoedas é um conforto para o investidor, diz o CEO da Hashdex, Marcelo Sampaio. De acordo com Evandro Pereira, CFO da Genial, “como esperado, houve um fluxo grande de compra de clientes de corretoras que não participaram da oferta”. Segundo ele, isso ajudou a valorizar as cotas. A Genial foi a coordenadora líder da oferta.

O ETF de criptomoedas é um dos 10 maiores ETFs de renda variável listados na B3 e como o quinto com mais investidores, com cerca de 28 mil CPFs e institucionais.

O ETF segue o Nasdaq Crypto Index (NCI), desenvolvido pela Hashdex e Nasdaq. As seis criptomoedas que fazem parte são bitcoin, ethereum, stellar, litecoin, bitcoin cash e chainlink.  A cesta de ativos é rebalanceada trimestralmente.

0 Comentários

Deixe um comentário

XHTML: Você pode usar estas tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>