Consórcio com Genial, MB e Mastercard se integra à rede do piloto do real digital

Logo do Drex. Imagem Banco Central.

O consórcio liderado pela Genial Investimentos e Mercado Bitcoin é mais um consórcio que conectou seu nó à rede do Banco Central para o piloto do Drex. “Embora o consórcio estivesse pronto para a conexão desde meados de julho, foi necessário aguardar o aumento da banda de conexão na Rede do Sistema Financeiro Nacional (RSFN)”, disse a Genial em comunicado. O consórcio tem ainda a Mastercard, a Sinqia e a Cerc. O aumento de banda de alguns participantes do piloto é um dos motivos que deve atrasar o cronograma, como revelou o Blocknews.

O grupo usou a infraestrutura da Genial para a integração. “Para otimizar o desenvolvimento, o grupo optou por criar uma rede Hyperledger Besu própria, possibilitando a elaboração de funcionalidades que serão aplicadas ao piloto do Banco Central”, afirmou. Assim, a partir de agora o consórcio pode fazer operações como emissões, resgates e transferências de real digital.

O consórcio lembra que com Drex será possível ter novos produtos e serviços. “Um exemplo é programar para que a titularidade de um veículo seja passada de uma pessoa a outra somente quando os recursos caírem em conta. No entanto, existem inúmeras outras situações, as quais a programabilidade se aplica. Outra vantagem do Drex é o registro das transações em uma única rede, gerando mais interoperabilidade em transações financeiras, liquidação e registro de titularidade de ativos”, completou.

Para o usuário final, os benefícios devem ser observados em menos erros, falhas, e menor tempo de liquidação de ativos, que consiste no tempo entre a solicitação de compra e a compra de fato ser efetuada. Uma rede única também beneficia a segurança do sistema financeiro, pois os investimentos de múltiplas instituições privadas passam a ser direcionados para uma mesma rede. Esse ponto é especialmente importante com o aumento de temas como segurança cibernética.

Na primeira fase do piloto, será testada a programabilidade e privacidade. Como a rede do piloto é única para os 16 grupos de participantes, será uma oportunidade para testar a privacidade. Um dos desafios desse ponto é que algumas soluções, como o zero-knowlodge, “ainda são incipientes e pouco aplicadas”, diz o Genial.

A previsão é que o DREX seja utilizado em todas as atividades financeiras convencionais, como empréstimos, seguros e investimentos. A expectativa é de que seja disponibilizado ao público até o fim de 2024.

Compartilhe agora

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *