Claudia Mancini
é jornalista e cientista política, especializada em negócios, blockchain e economia digital

Coinbase venderá 114,85 mi de ações na Nasdaq; preço médio da ação no mercado privado é de US$ 343

Ação da Coinbase fechou dia volátil ao preço de US$ 328,28, acima da referência, mas abaixo do mercado privado. Foto: Coinbase

A Coinbase planeja vender, na Nasdaq, 114.850.769 ações da classe A por um preço máximo proposto de US$ 943.218.155. Essa classe de ações tem, hoje, direito a cerca de 0,8% dos votos. A data de lançamento ainda está em aberto. O código do papel será COIN.

A Bloomberg calculou o valor de mercado da Coinbase em US$ 90 bilhões, porque houve troca de ações por US$ 350 cada no Nasdaq Private Market. De acordo com o prospecto, a venda privada variou de US$ 200 a US$ 375,01. Já o preço médio ficou em US$ 343 (cerca de R$ 2.058).

Mas, a maior corretora de criptoativos dos Estados Unidos (EUA) mundo diz que esses preços podem não se repetir na sua venda de ações. Isso porque a venda não será uma oferta inicial de ações (IPO), mas uma listagem direta. Não haverá, portanto, ações como roadshows e subscrições antes da oferta.

Assim, poderá haver uma volatilidade maior dos preços no início das vendas. O IPO da Coinbase é muito esperado, uma vez que será um teste do apetite dos investidores a um ativo desse tipo. O que pode ajudar é a explosão de preços do bitcoin.

De acordo com o prospecto, as ações são de acionistas ou acionistas registrados. As duas classes, a A e a B, têm direitos iguais, menos o de voto e de conversão. Cada ação da classe A tem direito a um voto, enquanto a da B tem direito a 20 votos e conversão a qualquer momento.

Os executivos da empresa, 5% dos acionistas e seus afiliados têm 60,5% de poder de voto da Coinbase. Mas antes da oferta pública, quem tem ações classe B vai poder convertê-las para classe A.

Coinbase cita plano de expansão

No dia da listagem na Nasdaq Global Select Market, a Nasdaq Stock Market LLC, ou Nasdaq, vai aceitar, mas não executar, ordens prévias de compra e venda das ações. Além disso, vai indicador o preço atual de referência, ou Current Reference Price, com base aas ordens. Quem quiser ações poderá fazer ordens num prazo de dez minutos.

O Goldman Sachs, assessor da Coinbase na operação, e outras instituições, como o J.P Morgan e o Citigroup, vão receber as ordens. Depois disso, vão avisar a Nasdaq que as ações estão prontas para serem negociadas.

A Coinbase afirma que sua estratégia de negócios é crescer por meio de diversas ações. Por exemplo, com um aumento de pontos de contato com os clientes. Além disso, planeja ter vendas institucionais e dar um suporte a clientes desse segmento.

A corretora também afirma que pretende aumentar o acesso a seus produtos e serviços com uma expansão internacional. E tem mais: vai expandir a variedade de ativos digitais em seu portfolio.

“Qualquer ativo ou forma de valor pode ser representado por um ativo criptografado e ter o suporte da nossa plataforma”, diz o prospecto. Desde que sigam o compliance da empresa. Haverá ainda, diz o documento, apoio a protocolos novos e nativos de blockchain.

0 Comentários

Deixe um comentário

XHTML: Você pode usar estas tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>