Claudia Mancini
é jornalista e cientista política, especializada em negócios, blockchain e economia digital

Valor estimado para corretora Coinbase na Nasdaq é cinco vezes o da brasileira B3

Recordes do bitcoin podem aumentar interesse na Coinbase.

A Coinbase, maior corretora de criptomoedas dos Estados Unidos, finalmente entrou com o pedido para listagem direta de suas ações na Nasdaq. O pedido aconteceu nesta quinta-feira (25).

Se as expectativas de analistas se confirmarem, seu valor será avaliado em torno de US$ 100 bilhões. É cerca de cinco vezes o valor, em dólar da bolsa brasileira B3. O valor de mercado da B3 está em cerca de R$ 113,6 bilhões (cerca de US$ 20 bilhões).

O ticker da Coinbase será Coin. Sua entrada na Nasdaq é um março, já que será um teste para saber o quanto os investidores estão interessados no setor. Com os recordes sucessivos do preço do bitcoin, além de a moeda atrair investidores institucionais, o interesse hoje pode ser maior.

A receita da corretora mais do que dobrou no ano passado, para US$ 1,3 bilhão, mais que o dobro dos US$ 533 milhões de 2019. Resultado da explosão de preço do bitcoin, que também transformou prejuízo em lucro. No ano passado, seu ganho foi de U$ 322 milhões, enquanto em 2019, a Coinbase amargou perdas de U$30 milhões.

0 Comentários

Deixe um comentário

XHTML: Você pode usar estas tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>