Nexo compra participação em banco; Strike e Sardine recebem aportes

Startups se movimentam para crescer. Imagem: Giorgio Trovato.

 A Nexo, que faz empréstimos de cripto e tem US$ 4 bilhões de ativos sob gestão, comprou uma participação no Hulett Bancorp (DBA Mode Eleven) e seu braço federal Summit National Bank. Com isso, a startup aumenta sua operação nos Estados Unidos (EUA) e poderá oferecer serviços como contas bancárias, empréstimos, programas de cartões e soluções de custódia por meio do Summit. As empresas não divulgaram a fatia que o Nexo compro do banco.

De acordo com o Nexo, seu plano de longo prazo inclui a expansão de suas capacidades como banco comercial por meio da parceria com o Summit National Bank e de mais licenças bancárias em escala global. A startup tem mais de 50 licenças e registros no mundo, 5 milhões de clientes em mais de 200 jurisdições, incluindo no Brasil. Além disso, afirma que já processo mais de U$ 100 bilhões. Mastercard e Fidelity são alguns de seus parceiros. 

Strike capta US$ 80 milhões…

A Strike, provedora de pagamento digital desenvolvida na Lightning Network, uma segunda camada sobre a rede bitcoin, levantou US$ 80 milhões numa rodada que inclui a Washington University em St. Louis, a Universidade de Wyoming e outros investidores. Investidores que já estavam no projeto também fizeram novos aportes. “Estamos nos movendo rapidamente não apenas para integrar com lojistas, mas globalmente, com vários negócios e parceiros.” Foi o que disse Jack Mallers, fundador e CEO da Strike e um dos pioneiros da Lightning Network.

A startup afirmou que usará o capital para aumentar suas parcerias atuais e lançar novas. A nova rodada de investimentos acontece logo após o lançamento da sua API. Os parceiros iniciais são redes de e-commerce como a Shopify. A Strike afirma que está tendo um crescimento exponencial também do lado do consumidor, com dois milhões de downloads de seu aplicativo.

… e a Sardine levanta US$ 51,5 milhões

A Sardine, que provê soluções para prevenção de fraudes e liquidação de operações para fintechs e empresas de Web3 como FTX, Blockchain.com, Wealthsimple e Brave, levantou US$ 51,5 milhões numa rodada Série B. O Fundo de Crescimento da Andreessen Horowitz, que investe em startups de blockchain, liderou a captação. Mas os investidores incluem ainda empresas como Visa, Google Ventures, Eric Schmidt, presidente da Alphabet, ING Ventures, ConsenSys e Uniswap Labs Ventures.

A startup usará os fundos para acelerar o desenvolvimento de sua plataforma de fraudes e compliance, assim como seu cartão e código para envio instantâneo de dinheiro entre diferentes bancos dentro dos Estados Unidos (EUA), o código ACH. Esses são usados para operações on ramp de cripto, ou seja, de troca de moeda fiduciária para cripto compras de tokens não-fungíveis (NFTs).

Compartilhe agora

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *