Criadores da Trends Brasil Conference e rede Hathor criam plataforma de tokens de música

Criadores da Trends Brasil Conference e rede Hathor criam plataforma de tokens de música que terá NFTs e experiências para fan.

Está entrando em operação a plataforma KickOff Music, uma criação dos fundadores do evento de música Trends Brasil Conference e da Hathor Network, uma rede blockchain brasileira. O projeto prevê emissão de tokens não-fungíveis (NFTs) musicais e fan tokens de ações promocionais dos artistas. E também que criadores controlem os preços de seus conteúdos, com possibilidade de mais ganhos do que nos streamings, por exemplo, diz a empresa.

“Do ponto de vista privilegiado que temos a partir da conferência, percebemos que havia um potencial enorme para a criação musical na tecnologia blockchain, particularmente através de NFTs”, disse Luciana Pegorer, co-fundadora da KickOff Music.

De acordo com Marcelo Pera, co-fundador da KickOff Music, no modelo da plataforma o artista não é coadjuvante “na oferta da música como acontece no modelo de streaming”. A plataforma já tem à venda, por exemplo, a Rock Band, cinco cards, cada um com o som de um instrumento de uma banda de rock. O instrumento é retratado em um pedal de efeito.

A startup está usando a blockchain da Hathor Network, que engenheiros brasileiros desenvolveram. De acordo com comunicado, a rede resolve três dilemas de redes anteriores. Um deles é a baixa capacidade de transações por segundo (tps). Outros dois são os altos custos operacionais e complexidade para desenvolver projetos reais.

Hathor tem taxas previsíveis

Segundo a empresa, tanto o criador do token, quanto o não precisam conhecer sobre criptomoedas ou blockchain para negociar os tokens. De acordo com o comunicado, há previsibilidade de preços de taxas de transação, algo que em redes como Ethereum, por exemplo, tem sido um problema. Assim como opera com todos os meios de pagamento convencionais, além das criptomoedas, mas sem necessidade de carteira cripto.

“Os NFTs abrem um mar de oportunidades para todos os agentes e a Kick-off está sendo pioneira em mostrar o quão viável é essa tecnologia. Temos muito orgulho de acelerar esse projeto”, disse Gabriel Aleixo, desenvolvedor de Novos Negócios da Hathor Labs.

A empresa afirma que sua rede também tem uma pegada de carbono próxima de zero, já que 99% do processamento vem de outras redes. É o mecanismo de mineração compartilhada. Na prática, ninguém precisa ligar novas máquinas para a Hathor funcionar. Basta usar recursos pré-existentes.

De acordo com a KickOff, o conteúdo musical passou pelas fases do disco de vinil e fitas cassete,. a do CD e DVD, sendo que este último incorporou o audiovisual no produto físico, e agora o streaming. Nas duas anteriores, havia transferência de propriedade, parcial, na forma de produto físico e no download. Já na fase do streaming, o modelo ´e de experiência auditiva on demand e menos de propriedade.

Mas, esses modelos incluem vários participantes e tratamento da música como commodity, ou seja, quanto mais vendida, melhor. Já no mundo dos NFTs, o que prevalece é a raridade, portanto, o valor da música, e menos intermediários.

Compartilhe agora

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *