Mercado de Criptomoedas por TradingView

Unicef financiará até US$ 100 mil em criptomoedas para soluções em blockchain de startups

Unicef quer que comunidades se aproximem de criptomoedas. Foto: Unicef.

O fundo de investimento de risco da UNICEF (Fundo das Nações Unidas para a Infância) vai destinar até US$ 100 mil (cerca de R$ 550 mil) em criptomoedas para financiar soluções de software baseadas em blockchain. O foco dos projetos deve ser empoderar e desenvolver capacidades em comunidades. Os recursos os chamados “semente”, para ações no estágio inicial. E haverá ainda mentoria.

As startups receberão bitcoin e ethereum, mas não precisarão dar ações em troca dos recursos, o que difere do que costuma acontecer no mundo dos investimentos. Os recursos chegarão por meio do CryptoFund da Unicef .  Podem participar startups dos países em que o programa da Unicef atua. São 190 e o Brasil faz parte deles. O braço da ONU diz que o valor pode até superar os US$ 100 mil.

O prazo para inscrição termina no próximo dia 8 de março. “Estamos procurando investir em empresas que estão desenvolvendo softwares baseados e blockchain que usem criptomoedas, contratos inteligentes e outros tipos de tokens. Assim como iniciativas de educação e treinamento sobre criptomoedas para desenvolver capacidades”, diz o comunicado da Unicef.

Unicef busca softwares que permitam uso de criptomoedas

De acordo com a Unicef, o foco dos investimentos será em soluções em três áreas. Uma delas é a de melhoria da prestação de contas e transparência de serviços e pagamentos, como as que permitem a instituições usarem criptos e em rastreamento de cadeias de suprimentos que envolvam, por exemplo, conectividade e eletricidade.

A segunda área é a de novos modelos de financiamento e de recompensas. Nessa, o foco é no desenvolvimento de serviços como uso de criptomoedas para aumentar investimentos, por exemplo, por crowdfunding ou staking. Outro exemplo são, por exemplo, os tokens, para criar novas economias e marketplaces.

A terceira área é para empoderar jovens a se engajar como os novos sistemas, como pagamentos digitais e criação de novas formas de tomada de decisões. Isso inclui, por exemplo, as organizações autônomas descentralizadas (DAOs). Além disso, o financiamento mira iniciativas de educação de alunos e professores sobre criptoativos.

Compartilhe agora

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.