PretaHub e Deboo fazem parceria para disseminar Web3 na comunidade negra

PretaHub quer educar comunidade em Web3.

A PretaHub, centro de arte, tendências e fomento ao empreendedorismo preto do país, fechou uma parceria com a Deboo, desenvolvedora de projetos e soluções em Web3, para capacitação e entrada de empreendedores negros nessa área. nova economia.

A essência da parceria está em compartilhar conhecimento, oportunidades e aplicabilidade dos conceitos de Web3 em produtos e serviços no ambiente digital, mostrando a transformação de uma ideia em realidade. Além disso, busca gerar ações inovadoras para as atividades lideradas por Adriana Barbosa, fundadora e CEO da PretaHub e da Feira Preta.

‘’Com a chegada da Web3 e com o surgimento de inúmeros termos sobre as novas tecnologias, buscamos aprofundar nosso conhecimento sobre blockchain, NFTs, criptomoedas, organizações autônomas descentralizadas (DAOs) e metaverso. São temas totalmente atuais que só irão funcionar quando todos estiverem inseridos. É o futuro, e o nosso esforço é para que nele a população negra esteja envolvida e fazendo parte das decisões. Por essa razão queremos ser referência de educação sobre Web3 em nossa comunidade’’ explica Adriana Barbosa.

A Deboo deverá desenvolver ações que aproximem os participantes do hub e outros públicos que se relacionam com o Preta Hub e os principais conceitos da Web3, através da produção de conteúdo e do desenvolvimento de produtos e serviços baseados em blockchain. A primeira entrega do trabalho consiste na elaboração de conteúdos e materiais de educação.  

No início do projeto, a Deboo ofereceu aos times uma imersão no tema e na co-criação de soluções e possíveis caminhos de atuação na nova internet. “A Web3 promove uma evolução dos modelos de negócios, na forma como as pessoas se relacionam umas com as outras e também como interagem com a própria internet. Assim como a sociedade, a internet está sob um contínuo processo de transformação, e é compromisso da Deboo impulsionar e facilitar o entendimento dessas iniciativas relacionadas ao tema, além de trazer para o debate os empreendedores da comunidade negra como parte dessa enorme transformação’, diz Léo Brazão, co-fundador da Deboo.

Ainda nessa primeira fase, será lançada uma série de NFTs, criadas por um artista atuante e proeminente na comunidade PretaHub. Os tokens serão comercializados como cotas de patrocínio das iniciativas do hub, ou seja, é a tokenização dos processos de apoio e patrocínio. 

As artes digitais exclusivas poderão ser compradas por empresas, que além da propriedade sobre as peças e a possibilidade de utilizá-las em suas comunicações, ativações e redes sociais. Além disso, receberão em contrapartida uma série de produtos e serviços oferecidos pela Preta Hub, que vão de oficinas especializadas para o desenvolvimento dos colaboradores e lideranças, chamados de AfroLabs – a participação das marcas em uma série de eventos da casa, como a Feira Preta.

O Projeto Preta Hub Label Web 3.0 está oferecendo 10 cotas de patrocínio, com valor equivalente a ouro, prata e bronze. As cotas são divididas em 2 Kampala (ouro), 3 Mombasa (prata) e 5 Durban (bronze). As empresas patrocinadoras também terão acesso a uma série de benefícios exclusivos. 

Compartilhe agora

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *