Os Greenies lança NFTs para plantio de 1 milhão de árvores na Mata Atlântica

NFT de Os Greenies. Imagem: Os Greenies.

Um milhão de árvores. Esse é o objetivo de plantio para preservação da Mata Atlântica do projeto “Os Greenies”, que criou 5.005 artes digitais em tokens não-fungíveis (NFTs) para uma primeira fase de arrecadação de recursos. Um dos destaques da iniciativa é de que os tokens estão em grupos conforme as emissões pessoais ou de empresas de todos os portes. Por isso, quem tem menos para compensar, pode comprar os de menor valor, e quem tem mais, pode adquirir os de maior valor.

A iniciativa é de oito profissionais de áreas como artes, publicidade, tecnologia, esportes e economia verde. O grupo inclui Alessandro Guidini, André Diniz, Caroline Snitcovski, Denis Freitas, Gui Pimentel, Lucas Carvalho, Luciana Diniz e Thiago Yaak.

As artes digitais do Os Greenies têm como base peças criadas pelo designer Denis Freitas. Uma ferramenta de inteligência artificial (IA) generativa foi usada para desenvolver camadas artísticas relacionadas à sustentabilidade e a espécies da flora e da fauna do Brasil. Esse trabalho é de Thiago Yaak, responsável pela tecnologia de arte generativa.

Mata Atlântica já perdeu quase 90% de área

A Mata Atlântica abrange cerca de 15% do território nacional em 17 estados. Mas, já perdeu quase 90% de sua área original, de acordo com a SOS Mata Atlântica. Um estudo recente do Datafolha revelou que nove entre dez brasileiros acreditam que vão sofrer impactos na vida pessoal com as alterações do clima.

Aliás, nos últimos dias a temperatura média global bateu recordes em três dias. O Brasil é terreno fértil para iniciativas de preservação ambiental e compensação de CO2 e há projetos para locais como a Amazônia. Blockchain está permitindo fazer isso por meio de NFTs.

Os 5.005 NFTs do projeto Os Greenies equivalem a vendas de US$ 1,3 milhão (cerca de R$ 6,3 milhões). Das vendas, 80% do valor (US$ 1,040 milhão ou em torno de R$ 5 milhões) vai para o plantio de árvores. Assim, no total, isso deve permitir o plantio de 246,1 mil árvores.

Os NFTs estão na rede Polygon e a Weblock é parceira do projeto. Esta primeira fase tem previsão de acontecer até março de 2024. A previsão é de ter a fase 2 até março de 2025 e a fase 3 até março de 2026. Para cada uma, a estimativa é de plantio de 376.950 árvores.

Os Greenies identificam áreas para plantio

Legendary Greenies Jaguar.

Junto com a Iniciativa Verde, o projeto Os Greenies identifica áreas relevantes tanto em potencial de estoque de carbono, como para adaptação às mudanças climáticas. O NFT é um certificado de apoio ao reflorestamento que vale por um ano, já que os cálculos de compensação dos tokens é equivalente à emissão de CO2 para esse período.

Os cálculos de CO2 para serem compensados são com base em um banco de dados que segue o Protocolo GEE (Gases de Efeito Estufa), adaptado para o Brasil pela Fundação Getúlio Vargas, e em outras pesquisas científicas, segundo os fundadores de Os Greenies.

Cada categoria de Os Greenies estipula a quantidade de árvores que será plantada. Tanto para pessoas físicas, como jurídicas, há três categorias de NFTs. Mas, há também uma especial com representações de animais da fauna brasileira, como tamanduá e onça.

No caso de pessoas físicas, o cálculo leva em conta, por exemplo, se e quanto a pessoa usa carro, tamanho de sua residência e viagens de avião.

OOH e Urban Art foram primeiros compradores

Além da Iniciativa Verde, participam do projeto a Jundu, que faz certificações de estoque de carbono e que é da Fábrica Ecológica, consultoria em mudança climática que responde pelos cálculos das emissões. Ambas são de Lucas Carvalho, um dos oito criadores de Os Greenies.

A operação iniciou a venda dos NFTs para empresas. Uma delas é a OOH Brasil, empresa de mídia Out Of Home (OOH) que compensará o consumo anual de CO2 na categoria Mid Bizz. Assim, serão 90 mudas de árvores, o equivalente a 20 toneladas de CO2 em uma área de 540 m2 de floresta.

“Para nós, é imprescindível fazer parte desta iniciativa. Nossa crescente expansão pelo Brasil exige também que pensemos em como zerar o carbono que emitimos no dia a dia. Desde 2020, utilizamos energia 100% limpa em nossos ativos. Agora, com 100% da compensação do carbono anual da empresa, damos um enorme passo na nossa contínua dedicação ao pilar ambiental das premissas do ESG”, disse Felipe Davis, CEO da OOH Brasil.

A galeria Urban Arts, da qual André Diniz, que é parte do Os Greenies, é sócio-fundador, comprou 26 NFTs da categoria Metro Greenies. Esses tokens serão destinados a cada galeria que compõe a rede. Com isso, comprou o direito de plantio de 468 árvores, reflorestamento de 2,8 mil m2 de matas e sequestro do equivalente a 104 toneladas de CO2.

Compartilhe agora

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *