BID e Fundação Everis buscam soluções blockchain para combate a feminicídio

Há cerca de 450 milhões de pessoas na América Latina sob risco de violência.

A violência contra a mulher disparou em todo o mundo no confinamento social criado com a pandemia do Covid-19, mais ainda na América Latina, incluindo o Brasil. Diante desse quadro, a Fundação Everis e o laboratório do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID Lab) estenderam até 31 de agosto a período para recebimento de propostas de soluções em blockchain para combater essa violência.

As soluções usadas atualmente para combater a violência são antigas e não atendem as 450 milhões de pessoas na região que potencialmente precisam de ajuda, reporta o Blocknews Economía, site de notícias da Espanha.

“Estendemos o prazo porque o confinamento reduziu a apresentação de propostas, que são cerca de 20, de países como Brasil, Colômbia, Argentina, Chile, México e Espanha. O programa foi batizado de BlockAngel.

Suporte de até US$ 150 mil

O projeto vencedor e os outros dois melhor avaliados receberão um pacote integral de apoio econômico, empresarial e tecnológico”, diz Karla Alarcón, diretora geral da Fundação Everis. Os três projeto poderão receber até U$ 150 mil (cerca de R$ 800 mil), reporta o Blocknews Economía

No Brasil, os casos de feminicídio saltaram 22,2% de março a abril deste ano em 12 estados do país, em comparação ao mesmo período de 2019, segundo levantamento do Banco Mundial feito a pedido do Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP).

O problema surgiu logo no início do isolamento social. De acordo com o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, o número de ligações para o canal Ligue 180, que recebe denúncias de violência contra a mulher, subiu 9% na comparação entre os períodos de 17 e 25 de março e de 1 a 16 de março.

Compartilhe agora

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *