Novo Livro “Tokenização do dinheiro” traz da história da troca de valores até ativos digitais e CBDCs

As discussões sobre blockchain e ativos digitais, em geral, acontecem dentro da bolha desse mercado. Para acrescentar mais informações e trazer para essas conversas pessoas que têm interesse, mas ainda não sabem muito sobre o assunto, o economista Gustavo Cunha, fundador do canal de conteúdo Fintrender escreveu o livro “A Tokenização do Dinheiro – Como Blockchain, CBDC, Stablecoins e DREX Mudaram o Futuro”. O livro está em pré-lançamento na Amazon.

“O livro é bem completo porque fala desde o que é moeda, o que é dinheiro, como atuamos com ele, como o dinheiro está se transformando, a tokenização, diferença disso com digitalização e temas como stablecoins, CBDCs (moeadas digitais de bancos centrais) e Drex”, disse ao Blocknews o autor, que fez uma transição de carreira.

Depois de 20 anos no setor financeiro tradicional, em algumas das maiores instituições do mercado como executivo sênior, Cunha passou para o de blockchain e criptoativos. Há quase uma década faz palestras e cria conteúdos sobre o assunto, se tornando um dos mais conhecidos especialistas nesse segmento.

Livro está em pré-lançamento na Amazon.

O livro de 229 páginas e disponível na versão para Kindle começa com uma pré-leitura sobre conceitos como blockchain, stablecoins, ethereum e oráculos, explicados pelo autor de forma simples, sem tecnicidades. No final, discute o que vem pela frente em tokenização, como isso mudará as vidas das pessoas e empresas.

Escrevendo sobre um setor que evolui rapidamente e que muda quase todos os dias, Cunha disse que o que o motivou a colocar suas ideias “no papel” foi a maturidade a que o mercado já chegou a a sua própria. “Escrevo, falo com muita gente, estudo muito e vi uma carência das pessoas de saberem o que está acontecendo. A gente está falando muito desses assuntos como se fossem comuns, mas não são comuns para todo mundo”, afirmou. O autor já escreveu também artigos para o Blocknews.

Nas seções sobre o Drex, a CBDC brasileira, Cunha mostra como essa inovação poderá redefinir as transações e operações financeiras do país. Isso porque não apenas facilita, mas também torna as transações financeiras mais seguras, rápidas e eficientes.

Compartilhe agora

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *