Claudia Mancini
é jornalista e cientista política, especializada em negócios, blockchain e economia digital

Zeca Baleiro cria token de música, transforma fãs em coprodutores e pagará royalty

Zeca Baleiro lança 1.360 tokens a R$ 100 cada de nova música. Foto: Tuna Traders.

Essa é para quem quer ser sócio do cantor e compositor Zeca Baleiro. O músico lançou hoje (31) em parceria com a plataforma TuneTraders, tokens de sua nova música “O Tempo Não Espera”. Cada token vale R$ 100,00 e quem comprar, vai ter direito a royalty por três anos.

Dessa forma, o artista levanta recursos para produção da música e evita intermediários nesse financiamento e pagamento de royalties. “É muito bom que estejam surgindo novas formas de divulgar e comercializar a produção dos artistas da música. Novas picadas vão se abrir deste casamento entre tecnologia e música, o futuro da arte aponta para esse caminho”, disse Zeca Baleiro.

A venda do token de Zeca Baleiro acontecerá por 14 dias. Estavam disponíveis 1.360 cotas para 80% do resultado líquido das receitas da distribuição digital da obra. Às 19h48 desta terça-feira, havia 1.260 em estoque.

Cada pessoa compra quantos tokens quiser. O pagamento do royalty será conforme o número de vezes em que a música tocar a partir de 17 de setembro, quando entrar na plataforma. A cada trimestre, quem tiver os tokens receberá relatório da receita de streaming, além do pagamento. Quem quiser, pode depois vender sua cota na TuneTraders.

Espera-se que os detentores do token de Zeca Baleiro ajudem na divulgação da música. E quem comprar 10 cotas vai levar também uma participação numa audição virtual com Zeca Baleiro e conversar com o artista.

“Empoderamos artistas ao conectá-los a fãs e fundos. Usamos blockchain como uma utility para simplificar a distribuição de royalties, diluir a produção executiva da música entre os fãs e rastrear as receitas”, disse Carlos Gayotto, CEO da TuneTraders.

A TuneTraders será responsável pela distribuição da música nas plataformas digitais e por disponibilizar os relatórios com os royalties coletados e que cada fã deve receber de acordo com a cota adquirida.

Segundo Zeca Baleiro, é um reggaeton que compos durante a pandemia. “uma reflexão sobre este tempo de dor e incerteza em que estamos mergulhados, e da necessidade de, de certo modo, ‘reconstruir o mundo’, o de fora e o de dentro. Apesar do texto reflexivo, a música é um convite à dança, à alegria e à esperança por dias melhores. Vamos dançar sobre as cinzas”.

Baleiro tem mais de 20 anos de carreira e inúmeros prêmios e indicações, entre eles o Grammy Latino, APCA e Prêmio da Música Brasileira.

1 Comentários

Deixe um comentário

XHTML: Você pode usar estas tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>