Mercado de Criptomoedas por TradingView

Santander também vai entrar no mercado de criptoativos no Brasil

Santander trilha mesmo caminho de Itaú, BTG, XP e Nubank.

Um a um, os bancos estão anunciando iniciativas em criptomoedas. Agora, é o Santander que também vai entrar nesse mercado disputado. O presidente do banco no país, Mário Leão, afirmou que isso vai acontecer nos próximos meses, possivelmente até outubro. A instituição estuda blockchain há muitos anos e na Espanha é uma das empresas líderes no assunto, mesmo que não fale publicamente sobre seus projetos.

“A gente reconhece que é um mercado que veio para ficar e não é uma reação necessariamente a concorrentes se posicionando. É simplesmente uma visão de que o nosso cliente tem demanda por esse tipo de ativo”, afirmou, segundo reportagem da Folha de S. Paulo. Leão lembrou que os ativos financeiros tradicionais, como debêntures e cotas de fundos, serão tokenizados, o que os tornará mais acessíveis ao público.

Tanto é assim que o Itaú anunciou neste mês de julho a sua unidade Itaú Digital Assets, que vai atuar da emissão à distribuição de tokens financeiros. BTG e XP correm para lançar suas plataformas de criptomoedas. O Nubank também está vendendo criptos numa parceria com a Paxos.

O Santander conhece blockchain por usos e testes em emissão de título, por exemplo. Também usa a rede Ripple para transferências internacionais. Além disso, tem um projeto que usa blockchain no programa de testes do real digital, do Banco Central. Neste ano, por meio da Fnality, sistema de pagamentos distribuídos de um consórcio de 15 instituições financeiras, fez um piloto de prova de conceito (PoC) de emissão de tokenização de título financeiro e pagamento com moeda digital de banco central (CBDC) sintética. Isso tudo só para citar alguns casos.

Até 2020, os bancos olhavam bem torto para esse setor. Mas para quem atuava nele, ficava claro que uma hora entrariam nos criptoativos, exatamente peoa possibilidade da tokenização. Com o aumento de preços das criptomoedas em 2021, os clientes começaram a perguntar aos bancos o que eram essas moedas e se tinham produtos nesse segmento. E assim, o sistema tradicional foi se aproximando e entrando na área.

Isso sem falar das empresas de pagamentos, como Visa, Mastercard, PayPay e agora Elo, que também estão atuando no segmento. No caso da Elo, a empresa vai lançar um programa para startups do setor, de onde poderá tirar novos serviços e produtos para seus clientes.

Compartilhe agora

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.