Rede Bitcoin atinge 1 bilhão de transações processadas

Imagem: Michael Wuensch, Pixabay.

A rede Bitcoin, a primeira de criptomoedas e a que mais influencia os preços de suas concorrentes, atingiu a marca de 1 bilhão de transações processadas ontem (5). E conseguiu isso em 15 anos desde sua criação, o que representa sua sustentabilidade até agora em pontos como técnico e descentralizado, de segurança, de reserva de valor e de utilidade, – nesse último caso, mesmo que menos do que Satoshi Nakamoto possa ter imaginado em seu whitepaper.

A transação de número 1 bilhão foi processada no bloco 842.241 às 18h34 no horário de Brasília. A maior concorrente da Bitcoin, a Ethereum, atingiu a marca antes e já superou 2 bilhões desde que começou a operar, em julho de 2024, ou seja, em cerca de 8 anos. A título de comparação, a Visa, por exemplo, levou quase 25 anos para atingir a mesma marca.

Esse 1 bilhão de transações não considera as da rede Lightning, uma camada 2 da rede Bitcoin para pagamentos, com o objetivo de haver operações mais rápidas e baratas.

Aliás, a Lightning veio para resolver um dos problemas com que a rede Bitcoin tem, que é o de escalabilidade para processar dados. Isso é um dos indicativos dos desafios pela frente que a rede tem, junto, por exemplo, com a questão de preços, consequência direta da escalabilidade baixa atual. Há o outro desafio clássico da questão ambiental, por conta da energia usada para a aprovação das transações, resultado do uso do tipo de consenso utilizado, a Prova de Trabalho (PoW). Esse consenso prioriza a capacidade computacional ofertada pelos nós da rede.

A marca vem em meio a um período em que se registram alguns dos melhores preços do bitcoin no mercado. Na manhã de hoje (6), a cotação estava na faixa de US$ 64.090, com alta de 0,6% em uma hora, 0,18% em 24 horas e de 2,7% em sete dias. De acordo com Ana de Mattos, Analista Técnica e Trader Parceira da Ripio, um alto fluxo comprador elevou a cotação de US$ 57 mil registrada na na metade da semana passada para o patamar atual.

Compartilhe agora

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *