Mercado de Criptomoedas por TradingView

Zro Bank abre sua plataforma de criptomoedas para outras empresas

Cazou Vilela, CMO do Zro Bank, diz que novo serviço é muito escalável.

O banco digital Zro Bank, que fornece o serviço de compra, venda e pagamento com criptomoedas, vai passar a fornecer infraestrutura para outras empresas. É o que o banco chama de Cripto as a Service para quem quer oferecer serviços com moedas digitais. Com isso, a startup amplia sua atuação em criptos, hoje com foco em atender diretamente o cliente final, o consumidor, em sua plataforma.

O banco, que em outubro anunciou uma captação de recursos, diz que está em negociação avançada com algumas empresas para o novo serviço. Esse novo grupo de clientes poderá ser de corporações, startups e instituições financeiras como outros bancos digitais.

De acordo com Cazou Vilela, CMO do Zro Bank, fornecer infraestrutura para outras empresas e starups “é altamente escalável”. “Entendemos que podemos, mais uma vez, liderar um movimento de mercado nos tornando o principal player provedor de infraestrutura e de liquidez para diversas empresas que querem colocar seus negócios em sinergia com o universo cripto”.

O serviço serve, por exemplo, para varejistas, programas de fidelidade e corretoras de valores, segundo a empresa. Mas, para usá-lo, cada empresa deverá submeter o projeto ao Zro, que avaliará a integração com base em parâmetros internos de reputação, volume e sinergia.

“Teremos uma equipe dedicada a isso, visando a mitigação de fraudes e a total idoneidade do serviço que será criado. Esperamos em breve muito mais projetos com cashback em cripto, fidelidade e sorteios em cripto e até mesmo novos players disponibilizando a simples compra e venda de criptomoedas em suas plataformas”, completou Vilela.

Zro foi o primeiro banco a oferecer serviços em criptomoedas

Zro é do Grupo B&T, um dos maiores de câmbio do país, que também inclui a BitBlue, corretora que dá o suporte de criptomoedas para o banco digital. A operação começou em setembro de 2020.

A Multinvest, que fez um aporte de R$ 25 milhões, é uma gestora de recursos de Pernambuco, sede também do Zro Bank. A gestora criou um fundo para o aporte e nele está, por exemplo, Silvio Meira, presidente do conselho de administração do Porto Digital do Recife e membro do conselho de empresas como a Magalu.

Edísio Pereira Neto, CEO da fintech, disse na época que o Zro Bank usará os recursos para crescimento da equipe, ações de marketing e foco em novos produtos. Isso significa aumento do portfólio de moedas, conta internacional, crédito e investimentos. Recentemente, o banco anunciou 70 vagas.

O Zro Bank começou a operar em setembro de 2020 como o primeiro banco digital do Nordeste e o primeiro a oferecer serviços com criptomoedas do país, além dos serviços tradicionais. Isso porque opera em conjunto com a BitBlue. Neste ano, o ranking 100 startups to Watch indicou o banco como uma das startups de finanças mais promissoras.

O banco digital tem hoje 70 e quer chegar a 200 no final de 2022. Segundo a fintech, já houve 350 mil downloads do seu aplicativo do banco. A meta é 1 milhão até final do próximo ano.

Compartilhe agora

1 comentário em “Zro Bank abre sua plataforma de criptomoedas para outras empresas”

  1. Pingback: Zro Bank opens its cryptocurrency platform to other companies | EmergingCrypto.io

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.