Pressão sobre preço do bitcoin deve continuar, diz Grayscale

Exchanges liquidaram posições em bitcoin.

Desde novembro do ano passado, quando a FTX foi à falência, não se via uma queda tão grande no preço do bitcoin (BTC) e de outras criptomoedas relevantes como nos últimos dias. Para a Grayscale, gestora de ativos digitais, a queda aconteceu, inicialmente, por questões macroecônomicas que deverão continuar provocando volatilidade de preços das criptomoedas.

Às 17h desta sexta-feira (18), bitcoin registrava queda de 10,80% em sete dias e de 5,75% em 24 horas. A cotação estava na faixa de US$ 26.199,00. As quedas de Ethereum estavam em 9,7% e 3,90%, respectivamente, com o preço na faixa de US$ 1.665. As retrações começaram na quarta-feira (16) e aceleraram nos dois dias seguintes. Tudo isso aconteceu depois de um período de alta de cotações – e de esperanças de investidores – e de calmaria.

De acordo com a Grayscale, a questão macroeconômica envolve preocupações com a economia da China, a pressão sobre os mercados de títulos de países com grandes déficits orçamentários e o aperto quantitativo do banco central dos Estados Unidos (EUA), o Fed. Isso levou à venda de ações e títulos de renda fixa. E isso, por sua vez, fez os investidores reduzirem seus ativos de risco, o que incluiu a venda de posições em criptomoedas.

Grayscale cita venda de bitcoin por SpaceX

A situação piorou na quinta-feira, quando o The Wall Street Journal publicou que a SpaceX, de Elon Musk, vendeu ao menos parte de sua reserva de bitcoins de US$ 373 milhões que seu balanço indicava em 2022 e 2021. Musk criou no mercado cripto uma aura de que o apoia incondicionalmente. Com isso, suas falas podem afetar o mercado de certas criptos.

Preços do Bitcoin x Fatos nos Mercados

Em seu boletim, a Grayscale afirmou que apesar de que as vendas possam ter acontecido há algum tempo, já que o jornal não diz quando foram, isso contribuiu para reduzir as cotações. Assim, ao saírem da faixa em que estavam de US$ 29 mil – US$ 30 mil, as exchanges liquidaram posições longas, ou seja, aquelas em que apostavam na valorização do ativo. Isso porque pagaram menos pela cripto do que o preço atual.

“Por exemplo, dados da Glassnode mostram que liquidações de posições longa de BTC nos contratos futuros aumentaram para US$ 214 milhões na quinta-feira (ontem). O maior desde janeiro de 2022. As liquidações aconteceram numa janela entre 15h30 e 17h50 horário da costa leste dos EUA. Portanto, em linha com uma queda forte nos preços nesse período”, disse a Grayscale.

A liquidação se acalmou na noite de ontem, com um pouco de recuperação da cotação do BTC. Isso aconteceu junto com a informação da Bloomberg de que a Comissão de Valores Mobiliários dos EUA, a SEC, deve aprovar fundos de índice de bolsa ligados a Ethereum. E afirmou que isso pode acontecer ainda em outubro, o que ajudou em especial a cripto e ao par ETH/BTC.

Compartilhe agora

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *