OKX se associa à Abcripto, FTX vende ações da Grayscale e Binance divulga tendências

Bitcoin cai 8,4% em sete dias. Imagem: Piro4D, Unsplash.

A OKX, quinta maior exchange de criptomoedas do mundo em valores negociados, se associou à Associação Brasileira de Criptoeconomia (Abcripto). A empresa começou a operar oficialmente no Brasil em 2023. “Nossa parceria com a ABCripto nos permite moldar o futuro desse ecossistema”, afirmou Guilherme Sacamone, diretor-geral da OKX Brasil. Para Bernardo Srur, CEO da Abcripto, “a OKX contribui para a missão da associação de desenvolver o ecossistema de criptomoedas no Brasil”.

A OKX afirma ter 50 milhões de usuários globalmente. Já fez parcerias com marcas e atletas como o atual campeão da Premier League, o Manchester City F.C., McLaren F1, o atleta olímpico Scotty James e o piloto de F1 Daniel Ricciardo. Também é parceira do Festival de Cinema de Tribeca. A Abcripto tem cerca de 40 associados de diversos segmentos da criptoeconomia.

FTX vende participação em fundos da Grayscale

A massa falida da FTX vendeu toda a sua participação de 22,3 milhões de ações no fundo Grayscale Bitcoin Trust (GBTC) desde que esse se tornou um fundo negociado em bolsa (ETF), há duas semanas. A operação chegou a cerca de US$ 1 bilhão (R$ 4,9 bilhões). A informação é da Coindesk com base conversas com pessoas próximas à operação.

Isso pode ter ajudado a pressionar o preço do bitcoin, que em 7 dias caiu 8,42%. Às 8h da manhã desta terça-feira, a cotação estava na faixa de US$ 38.960, como mostram as cotações do Trading View no Blocknews.. Em 24h a queda era de 1,4%. Como a venda das ações pela massa falida da FTX já acabou, isso não deve mais afetar o preço da cripto, segundo analistas. Mas, não significa que a cotação voltará a subir, já que vários fatores afetam o preço.

Um outro evento envolvendo a FTX e a Grayscale foi a retirada de uma ação judicial da Alameda Research contra a empresa, ontem (22). O braço comercial da FTX alegava que a empresa cobrava taxas muito altas e que seus clientes não conseguiam resgatar as ações nos fundos da Grayscale. Essa, por sua vez, também acusou a Alameda de cobrar altas taxas dos clientes.

Binance: tendências para 2024

Os juros altos nos Estados Unidos (EUA), que segundo analistas podem cair ao longo de 2024, podem atrair investimentos em tokens relacionados aos títulos do governo norte-americano. Além disso, a adoção institucional e desenvolvimentos em infraestrutura, como identidade descentralizada, oráculos e interoperabilidade, devem crescer neste ano e ajudar a expandir o ecossistema de tokens de ativos reais. Essa é uma das oito tendências que a Binance vê para este ano.

As análises da exchange estão num relatório sobre o que aconteceu em 2023 e o que espera para este ano. Um outra tendência é a continuidade do uso de Ordinals e BRC-20 na rede bitcoin. O primeiro é um token não-fungível (NFT) e existe a partir da inserção de dados em Satoshis, os “centavos” de bitcoin. O outro é um padrão de token fungível nativo na rede e que usa o protocolo Ordinal, mas ainda está em teste. Os dois foram grandes revoluções na Bitcoin em 2023. Isso porque, até então, só era possível fazer transferências e armazenagens de bitcoin na blockchain.

Compartilhe agora

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *