Iniciativas da OFR e a16z reforçam aposta na evolução do mundo cripto

O cenário de baixa no mercado de criptomoedas nas últimas semanas parece não afetar a crença de quem vê uma evolução contínua no segmento. Nesta semana, a Old Fashion Research (OFR) anunciou um fundo de US$ 100 milhões para estimular a adoção de criptomoedas em mercados emergentes e a gestora Andreessen-Horowitz (a16z) lançou um novo fundo cripto de US$ 4,5 bilhões.

Formada por ex-executivos da Binance, a OFR é um fundo de investimento em blockchain multiestratégia que inclui negócios em estágio inicial, capital de risco e M&A. Com o novo fundo de US$ 100 milhões, o foco será direcionado a projetos de metaverso e adoção de criptomoedas em mercados emergentes.

O OFR já investiu em mais de 50 projetos de blockchain. A plataforma de negociação de criptomoedas WOO, a rede Boba (solução de dimensionamento blockchain layer 2 Ethereum) e o Metaverso Magna (MVM) da Nestcoin estão entre esses projetos.

Quarto fundo cripto da a16z

Entusiasta das criptomoedas desde 2013, a a16z acaba de lançar o quarto fundo cripto de US$ 4,5 bilhões. Desse total, US$ 1,5 bilhão será destinado a startups em fase inicial e US$ 3 bilhões para capital de risco. Ao todo, a a16z já conta com US$ 7,6 bilhões em fundos focados no mundo cripto e projetos blockchain.

Uma das maiores gestoras de venture capital do Vale do Silício, a a16z quer atuar em todas as etapas do ecossistema cripto e web3. “Estamos entusiasmados com os desenvolvimentos em jogos web3, Finanças Descentralizadas (DeFi), mídias sociais descentralizadas, identidade auto-soberana, infraestrutura de camada 1 e camada 2, DAOs e governança, comunidades NFT, privacidade, monetização de criadores, finanças regenerativas, novas aplicações de provas ZK (zero-knowledge proof), conteúdo descentralizado e muitas outras áreas”, indicou a empresa através de comunicado.

Compartilhe agora

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *